terça-feira, 18 de julho de 2017

A Chave

     Para algumas pessoas é possível demorar muitos anos até que consiga passar pela vida sem mágoa. Primeiro vem a tentativa, depois algo parecido com um falso esquecimento. Logo em seguida chega a revolta; aquela sensação de impotência misturada com rancor. Algumas vezes podemos até nos atirar aos braços de outra pessoa, imaginando que talvez fosse esse o caminho mais curto para esquecer alguém, e na maior parte das tentativas esse se torna o caminho mais longo!
     Durante os últimos anos eu ouvi a minha música preferida do Lynyrd Skynyrd , Crawl, e a associava imediatamente a nós; Your love does something to me that I can't describe
Dark eyes see right through me and I just can't hide
You drive me crazy with what you don't say and the way you hold
back love
Tell me tell me won't you please please tell me
Need an answer from above
There you are, You're my desire, and here I am
I'd be a liar if I said.
 
     Traduzi a letra inúmeras vezes pensando na história que vivemos. Até que numa noite, quando voltava para casa ao volante do meu carro, vindo pela Marginal Pinheiros em direção à Santo Amaro, ela começou a tocar na estação de rádio e eu nem sequer me lembrei dos momentos que passamos. Talvez tenha sido nessa hora em que me dei conta que esqueci o que aquela música representou em nossas vidas.
     É bem certo que uma hora chega o dia da libertação, o dia D do coração. Ele não acontece programado, surge apenas quando estamos preparados para o desapego. E para desapegar é preciso muito querer. Quantas e quantas vezes uma pessoa usa o verbo libertar de forma errada! Quando eu demonstrei que não conseguia te esquecer, a verdade era uma só: “Eu não queria te esquecer e não conseguia me libertar, mentia para mim mesmo!”.
    Você alimentou a minha inspiração durante muito tempo, anos a fio por assim dizer, e nada é mais complicado para uma pessoa do que tentar se libertar de um hábito adquirido que lhe traz progressos.
     Enfim... Desejar e ter não são a mesma coisa; só tem quem deseja, o contrário disso não é possível. Talvez por isso tenha escrito muitas frases ou histórias relacionadas a nós dois. Li e reli em voz alta, porque eu queria ouvir e sentir a força emocional da narrativa, e por que precisava demais das minhas palavras. Ainda preciso muito que elas me alimentem sem que me matem. As minhas palavras servem de alento e talvez de esperança. Mas agora é diferente, é com os pés fincados no chão em vez de voar como um pássaro livre atrás de migalhas. Muitas vezes o ouro mais desejado nada mais é que ouro de tolo, um lindo oásis feito de miragem!
     Eu sei que o amor é coisa distante disso. Ele se constrói da terra, onde se levanta pedra sobre pedra, com profundo esmero. Vai com uma vontade que supera o medo, o esforço e valoriza a calma. Dá tempo ao tempo e muito espaço a ambos, mesmo de mãos dadas. O amor é um caminho para ser feito sempre a dois.
   Diz um antigo ditado: “Ei caminhante não há caminho, pois o caminho se faz ao andar”.
    A grandiosidade de cada pessoa está em aprender a andar e ser uma ponte e não apenas um objetivo, porque ninguém consegue construir pontes sozinho antes de aprender o seu caminho. O amor surge desta construção. Não sei se algum dia você conseguirá saber exatamente o que é isso. Eu garanto que estou aprendendo. Aprendi muito nesses últimos anos em que descobri, com sabedoria e respeito, como seria mais feliz vivendo o amor com mente e coração limpos.
     Gostaria do fundo do meu coração que me desejasse sorte, porque eu sei que mereço. Pois, a você, desejo que tenha paz e muita consciência desta existência que teve fases subtraídas. Desejo ainda que consiga encontrar aquele fio que te levará à saída do labirinto em que se meteu tantas vezes.
      Percebi com a convivência que o oposto da angústia é a gratidão. E que ela venha investida de alegria por tudo que existiu ou ainda existe, mesmo que paire no ar uma tristeza por tudo que não existe ou nunca existiu entre nós. Espero que a gratidão conduzida por bastante sabedoria ilumine os seus caminhos com a mesma força que tem iluminado os meus.
      Ao finalizar peço que não guarde essas palavras apenas em seu coração, elas não lhes pertencem. Elas podem ser bem úteis a todos que possam aprender do modo fácil ou difícil, a deixar de sofrer por amor. E assim consigam trilhar o próprio caminho, encontrando a saída do labirinto. Não pense que essas pessoas deixarão de amar depois do trauma. Não! Elas aprenderão a amar de uma forma mais bela, mais real e até certo ponto racional ao se valorizarem de verdade.
     Estas palavras - que servem como uma despedida do meu antigo modo de vida – são, acima de qualquer outra coisa, para mim mesmo. Foram feitas de nós dois.

      Se puder envie-as para alguém que precise desta chave para sair da prisão, uma vez que talvez não tenha podido usar plenamente em seu próprio benefício. Saiba que a sua chave está aí dentro, ninguém tem o poder de tocá-la, exceto você. Use as palavras e descubra o segredo para encontrar o seu caminho. Afinal, mais cedo ou mais tarde, não é o que todos buscam sutilmente quando estão tristes ou loucos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aconteceu em Vinhedo

       Você se lembra dos beijos e carinhos que trocamos lá no parque da uva em Vinhedo? Você se lembra da caminhada pela trilha em meio a...