quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Retornando...

     Olá pessoal, tudo bem? Depois de um belo tempo de ausência cá estou outra vez para prosseguir com todas as histórias que parecem incompletas.
     Já estamos na metade do mês de janeiro, porém, ainda é tempo de desejar a todos um feliz 2016 e agradecer aqueles que me enviaram mensagens escritas ou em pensamento. Aliás, gostaria de destacar entre tantas mensagens maravilhosas uma em especial, ela me chamou muito a atenção pelo conteúdo e desprendimento - fiquei emocionado ao perceber que esta pessoa "anonima" acompanha bem de perto meus escritos e fala com propriedade sobre o meu estilo e os temas abordados neste blog. Agradeço a você, pessoa "anonima", os elogios, conselhos e o seu profundo interesse por aquilo que escrevo. Eis aqui o conteúdo do comentário postado no dia 30 de dezembro 2015:
   
" Isso é fato, homem gosta de ser maltratado é o que acontece com Renato. Amada espezinha e ele só corre atrás, tenta de todas as maneiras manter o 'diálogo' que na minha opinião tediosa. Sabe-se que ela tem um temperamento explosivo, introspectiva. Mas, a insistência desse rapaz é de dar nos nervos. Agora fica choramingando pelos cantos, revivendo esse relacionamento que pra ela já terminou a tempos, só ele que não se tocou ainda. Vá viver sua vida, tenha amor-próprio pelo amor de Deus! Muda o Tema, mas a história é a mesma. Espero que em 2016, sua criatividade esteja mais amplificada do que demonstra aqui seu autor"
 Em Vaidade Em Prejuízo Da Honra Parte 1 
Anônimo
em 30/12/15

     Então pessoal... Durante este tempo me dediquei aos estudos filosóficos em viagens pelo litoral paulista. Fui de Santos até Paraty. Fiz breves paradas em Bertioga, São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba. Enfrentei horas intermináveis de congestionamento nas rodovias Rio-Santos e dos Tamoios por culpa da queda de barreiras e reformas que nunca acabam. Mas deu tudo certo.
     Começo o ano comentando o que acho interessante para reflexão daquilo que somos, do que fazemos, do que pensamos e do que devemos pedir perdão.
     Quero dizer com isso que quando escrevi e publiquei aqui neste blog o conto "Dear Miss C" não podia imaginar o sucesso que o conto ia fazer - tanto no Brasil como no exterior, principalmente em países de língua portuguesa - de tal modo que acabei colocando nomes das personagens muito semelhantes aos de pessoas que conheci num determinado período da minha vida. Tais nomes foram trocados algum tempo depois na reescrita do conto - exceto o de Miss C.
      Nestes últimos 3 meses - novembro, dezembro e janeiro - resolvi fazer as viagens que citei. Ao passar por São Sebastião, de repente acendeu uma luz de algo que eu poderia consertar - lá vive uma das personagens da narrativa, irmã número 2 de Miss C no conto. Eu sabia que os detalhes que contei eram muito íntimos, por isso procurei o endereço e fiz questão de dar uma parada para pedir desculpas. Naquela tarde de sábado ensolarado, mais de 30 graus à sombra, bati à porta e ninguém atendeu, o local estava fechado e a garagem vazia. Não desisti e olhei ao redor, mas não havia ninguém que soubesse informar o paradeiro da moça. Voltei ao meu carro e peguei um bloco de papel e caneta para escrever um recadinho a ser deixado na caixa dos correios:
      "Passei por aqui para lhe pedir desculpas. Devia ter trocado o seu nome no conto. Porém, quero que saiba sinceramente, a escrita deste conto me fez tocar cada vez mais o coração de homens e mulheres que acreditam que o ser humano pode ser melhor do que aquilo que aparenta ser aos outros, pessoas que têm fé acreditam piamente nisso. Quanto a mim, no meu âmago, também pude escutar um pouco a Deus e reprimir meus instintos inconfessáveis de ferir alguém, os quais foram unicamente direcionados à escrita. Espero que também enxergue as coisas como eu, agindo e guiando-se pela fé do Deus bondoso que existe dentro de você. E que desta forma abra um largo sorriso ao final deste bilhetinho".

                                    Ass: Re


    Achou interessante né?.... Bom... Para ilustrar um pouco mais esse post vou citar aqui uma passagem do livro "Erva do Diabo" de Carlos Castaneda:
    "Tenha sempre em mente que um caminho não é mais do que um caminho. Se achar que não deve seguí-lo, não deve permanecer nele sob nenhuma circunstância. Para ter uma clareza destas é preciso levar uma vida disciplinada. Só então você saberá que um caminho não passa de um caminho e não há afronta, nem para si nem para os outros, em largá-lo se é isto que seu coração o manda fazer. Mas sua decisão de continuar no caminho ou largá-lo deve ser isenta de medo e de ambição. Eu lhe aviso. Olhe bem para cada caminho, e com propósito. E experimente tantas vezes quanto achar necessário".

       Também tenho aqui uma adaptação de um texto de Paulo Coelho a fazer contraponto com a passagem acima:

     "Como é fácil ser difícil. Basta ficar longe dos outros - e, desta maneira, não sofrer nunca. Não correrá riscos no amor, nem decepções, ou sonhos frustrados. Como é fácil ser difícil. Não precisará se preocupar com telefonemas que deveriam ser dados, nem com pessoas pedindo ajuda, muito menos com a caridade que seria importante fazer. Como é fácil ser difícil. Basta fingir que está numa bolha e que jamais derrama uma lágrima. Basta passar o resto da sua vida representando o papel daquilo que nunca foi, é ou será. Como é fácil ser difícil. Basta abrir mão de tudo que existe de melhor dentro de si e não aproveitar a própria existência".

    E para finalizar, deixo um pensamento:

    "Por incrível que pareça muita gente tem medo da felicidade. Para essa gente, estar de bem com vida significa mudar uma série de hábitos - e perder a identidade.
     Por isso, na maioria das vezes, uma pessoa se julga indigna das coisas boas e das pessoas legais que aparecem em sua vida. Não aceita - porque aceitar pode trazer em seu término a sensação de incompletude, fragilidade. Além disso, e o pior, é ter medo de "acostumar-se" com a felicidade do momento.
     Então a pessoa pensa: "É melhor não me envolver com esta felicidade, pois, quando ela me faltar irei sofrer muito".
     Por medo de sofrer, ou de se diminuir, ou da insegurança do amanhã deixa de seguir adiante. Por medo da tristeza esquece que a felicidade existe."


    Realmente a vida é um grande mistério...

    Não poderia deixar de citar o passamento de David Bowie, grande astro da música que influenciou pessoas no mundo todo por sua criatividade, irreverencia, determinação e inteligencia.

                                       Um abraço a todos que me acompanham.


11 comentários:

  1. Feridas estão sendo cicatrizadas, paz consigo mesmo. Dando o primeiro passo em busca do passado que por alguma razão tem sua importância. Sabedoria e coragem de relatar algo tão pessoal, achava que tudo era apenas 'estória', mas no fundo tinha um fundo de verdade e realidade. Parabéns Renato que seu retorno seja como sempre espetacular. Adriana.

    ResponderExcluir
  2. Estou estática aqui seu autor, lendo e relendo, pasma ao mesmo tempo. Então, não era só 'um simples conto', era mais além disso. Quem poderia imaginar que uma mulher tivesse esse poder de extrair sua melhor obra aqui publicada. Amor, ódio, revolta, saudades uma ligação perigosa. Espero que termine o que começou o "E-Mail-Carta", estou super curiosa sobre esse final. Aliás, certeza que muitas estarão interessadas em saber kkkkkk. Letícia.

    ResponderExcluir
  3. Sabe Renato tendo seus momentos de voltar ao passado, porque algo ficou mal resolvido e se depois disso não resolver tenho comigo essa frase: "Nem sempre é o outro que nos trata como opção, na maioria das vezes é a gente que se sujeita a ser uma opção, uma ponta de escape, um momento passageiro, uma forma de vida quando não se tem nada pra fazer, um bate volta. Está na hora de você rever seus conceitos e ajeitar a fila dos seus valores". Envio a VC boas vibrações e realize seus objetivos. Andréa Cardoso.

    ResponderExcluir
  4. Então quer dizer que é tudo verdade! Minha nossa, declarando de fato sua admiração por uma mulher que vive constantemente na sua mente. Olha vamos aguardar o que sucede nos próximos capítulos. Desde já, desejo-lhe que 2016 seja de muita prosperidade, amor e paz! E quem sabe sua Miss C volte pra você! Ana Lu.

    ResponderExcluir
  5. Quando um homem ama uma mulher, não pensa em outra. Esse é o seu caso, tanto que escreveu suas passagens e vivências com ela. Mesmo que tenha ampliado alguns fatos (estou deduzindo), nada muda a forma como a trata aqui. Orgulho ferido e pesaroso por não ter dado certo, poderiam estar juntos hoje e certeza que não teria o que contar nesse blog. Experiências amargas virou algo de muita solidão, aspereza,mas que no fundo tem uma importância real pra ti. Esperança que dia ela leia tudo isso, ou então, que envie um e-mail reclamando da sua audácia de publicar algo tão íntimo e dizer que mesmo tudo isso, nada irá mudar a forma que ela sente em relação a você. Já pensou nisso? A vida é uma caixinha de surpresas. Jamile.

    ResponderExcluir
  6. Você gosta dela né? Já tentou dizer isso pessoalmente? Ficar nessa de relembrar, ou melhor, detalhar fatos ocorridos nada irá adiantar se não resolver isso de uma vez por toda. Medo da reação dela? Melhor do que ficar se iludindo e saber o que ela sente por ti. Boa sorte, que seja feliz em 2016 e traga tudo que almeja na sua vida. Espero que o próximo capítulo tenha um final que tanto espera. Ziza.

    ResponderExcluir
  7. Bem-vindo de volta, meu Querido Autor! Q sdds!
    Pelo visto, vc aproveitou bem o período de festas p/ dar uma espairecida nas idéias, considerando o tempo q vc esteve ausente, claro! E espero q este tenha sido um período p/ recarregar as energias e a inspiração!
    Qto à declaração de “admiradores anônimos”, meu Caro, tenho a informa-lo q não está ao alcance de nenhum de nós enganar e mto menos agradar a tds o tempo td; e quem ousa expor seu pensamentos, sentimentos ou inspirações publicamente cm vc faz, está sujeito à críticas construtivas, destrutivas ou recalcadas (cm a q vc citou). Porém, cm pessoa coerente q vc deve ser, receba tds elas cm impulso p/ seu enriqueci/o e aperfeiçoa/o! O livre arbítrio q o inspira e encoraja a expor suas criações (fictícias ou verídicas) enfrentando julgamentos, é o msm q cabe a tds nós (leitores) e nos dá a liberdd de acessar seu blog e ler suas publicações ou, cm alguns deveriam fazer, procurar algo q melhor agrade seu gosto “requintado” e “exigente”!...
    Tenho q ressaltar q é mto fácil condenar ou criticar sem dar a cara pra bater! É isto.
    Parabéns pela homenagem a David Bowie! Realmente é uma gde perda e fará mta falta p/ a música mundial!
    E Feliz Ano Novo pra vc tbém! Q em 2016 vc continue despertando emoções e reflexões em tds nós!
    BJSSS - Edneia

    ResponderExcluir
  8. Cada um com tem sua opinião e não é sempre que agradamos. Uma coisa é descrever assuntos de difere de modo geral (atualidades) outra é expor algo particular como você fez aqui. Voltando ao passado pois tinha que fazer. Espero que continue a publicar seus textos que são maravilhosos. Importante se depois de tudo isso te deixou mais aliviado, feliz e segue com tua vida rapaz. Só um homem apaixonado faz o que você fez. Feliz 2016!

    Rosana

    ResponderExcluir
  9. Muito bom! Por vezes temos medo de arriscar num "Olá, queres ir beber um café e conversar?" por estarmos feridos e pensarmos que todos/as são iguais e que nos vão literalmente mandar à merda por pensarem que somos todos/as iguais com 2ª intenções escondidas, mas nem sempre é assim, felizmente ainda existe pessoas que arriscam e tentam a sua sorte, que não deixam o passado interferir no futuro.

    Jannine.

    ResponderExcluir
  10. Raul Minh'alma Se não eras para mim, tinhas de sair da minha vida, mas entraste nela e agora já não dá para mudar isso. Viva eu mais um ou mil anos é impossível tirar-te da minha história. Abri-te o meu livro, escreveste nele e por mais que eu queira apagar, não dá. Escreveste coisas bonitas com letras perfeitas, escreveste coisas feias com palavras tortas e por vezes rabiscaste-me sem sentido com linhas perdidas. Isso ficou tudo, o bom e o mau, ficou tudo, para sempre. Às vezes a minha vontade era voltar atrás e arrancar todas as páginas desde o dia em que apareceste, mas sabes uma coisa? Apagar-te… era apagar-me também. Se hoje sou quem sou, e gosto de quem sou, também o devo a ti. Ao que de bom e de mau me fizeste. Denise.

    ResponderExcluir
  11. Patricia Ramos Sodero23 de fevereiro de 2016 23:08

    Retornou tarde não?Já estava judiando das leitoras que te acompanham...rs.Feliz 2016 para você também!Puxa...que revelação não é mesmo Sr.Autor?Sabe,sou a favor do que nossa amiga Denise escreveu.Não escolhemos a quem vamos gostar,nos interessar...Isso acontece.Faz parte.O coração não "fala" nessas horas com quem ou como devemos nos envolver.Não devemos nos arrepender do que fazemos.Para se ter a certeza de alguma coisa,é necessário arriscar.Alguma lembrança boa sempre fica.Agora,sou a favor sim de que "coisas" mal resolvidas,devem ser faladas olho no olho,para ser verdadeiro.Ai sim,acho que se tem uma boa solução.Nada de orgulho.Quanto a VC publicar algumas verdades em seus textos,qual o problema?Não está ofendendo ninguém.E o Blog é seu.O escritor é VC.Acredito que se a "pessoa" a qual se refere,lê os textos que publica,deve realmente ter aberto um largo sorriso,simplesmente por saber que trata-se dela.
    Quanto a música,não tenho muito o que dizer porque adoro QUEEN.E por coincidência,pensei e ouvi essa música um dia antes de você publicar aqui.Lindo!
    Obrigada por voltar....Bjs....

    ResponderExcluir