sexta-feira, 8 de maio de 2015

O Tempo

      Olá pessoal, como vocês estão?
     Antes de começar a redigir esse texto comecei a pensar que tipo de assunto seria legal abordar nessa crônica. Ouvia tranquilamente Marooned do Pink Floyd e logo percebi que sentia um tipo de intuição para falar da importância do tempo, além das oportunidades que nós temos na vida e não aproveitamos em sua plenitude – as ideias foram fluindo nessa sequência:
     Naturalmente, todos têm muita coisa para aprender, ensinar e transformar. Mas, numa certa medida, cada um já tem um conhecimento e experiências adquiridas - o que é suficiente para encarar a realidade presente de várias formas.
     É fato que nada efetivamente de importante vai rolar se não colocarmos um pouco de atenção e consciência no que está acontecendo para nos aborrecer - dificuldades e desafios existem e estão aí. No entanto, tudo isto está do lado de fora. As questões de trabalho, diferenças familiares, doenças dos outros, ou conflitos de relacionamento surgem de fora para dentro. Nem nos damos conta do peso que tudo isso pode gerar se não soubermos lidar com cada coisa ao seu tempo, ou tudo junto.
     Dentro da gente existe toda a percepção de como é possível levar adiante o processo de agir e reagir diante destas circunstâncias – é certo que a conduta diante de cada situação varia muito de acordo com a personalidade de cada um.  
     Todos fazem o que sabem e muitos tentam se esforçar para melhorar a cada dia ao admitir erros e repetindo acertos. Acontece que se esforçar é um pouco diferente de “se dar força”. “Se dar força” significa colocar em prática o enorme repertório de coisas que foram aprendidas para o lado do bem e também para se defender das maldades alheias.
     Se existe um caminho imenso a ser descoberto com essas novas experiências desafiadoras, é verdade que também existe um caminho enorme já percorrido e que traz alguma segurança na observação, principalmente por já ter sido entendido nas duas formas citadas.
     Acontece que algumas pessoas têm a tendência de sempre deixar as coisas importantes para depois, e suas vidas vão passando como se nada de significativo estivesse realmente acontecendo. Esse tipo de ação acaba tornando as situações simples em problemas desafiadores, que vão desgastando pouco a pouco os envolvidos. Isso leva ao desencanto ou ao desalento com a vida, cria uma aura de insegurança dos dois lados. Aos poucos acabamos agindo como se fossemos crianças perdidas no meio da multidão, e que precisam seguir sozinhas sem saber para onde ir. Bem... Crianças, nós somos sim! Mas nunca estamos sozinhos. Existe uma força maior, uma inteligência acima da nossa compreensão que administra essas coisas e até nossas vontades inconscientemente.
      Em determinados momentos da vida nos entregamos aos pensamentos de derrota e aflição como se no final nunca tivéssemos uma saída. Lendo isso agora você poderia pensar: “Ah, o meu caso não tem mesmo saída”! Como assim o seu caso não tem saída? O que posso dizer é que talvez ainda não a tenha encontrado, ou que talvez sair deste problema não seja o melhor para você por enquanto. Entende? Há sempre um propósito na vida que não podemos controlar.
     Apesar de existir o livre arbítrio, e toda uma postura diante de um problema, permanecer nele pode ser uma escolha ou uma obrigação. Dentro desta premissa o poder de escolha é possível administrar, mesmo que não em sua totalidade como gostaríamos. Mas, a obrigação, nem tanto. Então, diante disso acabamos ficando com a sensação que estamos “amarrados” e obrigados a enfrentar algo aparentemente ruim sem saber até quando. É meio desanimador, não é mesmo?
      Então... Se soubermos observar direitinho perceberemos que a paciência divina sempre vai nos preencher de esperanças e oportunidades. Mas a parte que é intrinsecamente nossa, que é a parte de saber se posicionar e lidar com os problemas e pessoas, é uma escolha muito particular de cada um. Todo mundo tem a capacidade de fazer alguma coisa por si e pelos outros. Porém, muitos esperam que a vida se encarregue de fazer tudo sozinha, sem perceberem que é essencial que exista uma intervenção pessoal em forma de iniciativa corajosa. Toda a iniciativa deve acontecer muito claramente eliminando a resignação, a postura vitimista e a mania de perseguição. Pois, muitas vezes, os outros não estão nem aí com a gente. Os outros são egoístas. Os outros são complicados. Pode crer que pouca gente está realmente interessada no bem estar do semelhante. Então, diante disso tudo, não é possível nutrir falsos votos de confiança, exceto se os votos forem em prol de si mesmo. O direito de recomeçar, ou de encontrar um caminho para onde ir, depende única e exclusivamente da própria força de vontade em dar para si esse voto de confiança.
      Há um processo seletivo em curso que leva o caminho da bondade divina ao encontro de propósitos de vida e coragem. A honestidade em se desvincular daquilo que não dá mais se torna essencial nessa busca.
      Também não é certo maltratar quem mais dá o apoio necessário para que as coisas funcionem. Isso tem que ser uma parceria saudável de você com consigo mesmo. Lamentar-se dizendo que deus não é justo também não resolve. Seria interessante parar com essa bobagem de achar que as forças ocultas atrapalham a sua vida. Justo é compreender os limites e fazer as escolhas antes que a vida escolha por você. Pois quando você deixa a vida escolher não há como mudar. Você jamais pode desistir do seu melhor por que a vida está aí para trazer os benefícios necessários através de suas opções conscientes.
     Se algum dia você errou, se algum dia você magoou alguém, se algum dia seguiu um caminho que não era para você, ou se algum dia se relacionou com quem não deveria, eu digo: paciência. Pois eu não conheço alguém que nunca tenha feito tais coisas aos outros ou a si mesmo, e depois não tenha conseguido dar a volta por cima - pouco a pouco tomado consciência do mal que fez a si mesmo e aos outros.
     Se você não sabe por onde começar, não se aflija, basta ter uma pequena iniciativa que tudo entrará num ritmo de harmonia. E quando você sentir que está em equilíbrio poderá fazer o bem a alguém que realmente esteja necessitado. Dê a si mesmo o voto de confiança que tanto espera dos outros. Comece a buscar a força amorosa e intensa dentro de você. Essas forças estão aí: a força da saúde, da vitalidade e, sobretudo, da coragem que lhe faltou até hoje. Ao acreditar e colocar em prática tudo isso os caminhos irão se abrir, a vida irá sorrir e tudo entrará nos eixos como tanto espera. Então as queixas, arrependimentos e lamentações serão substituídos por alegria, prazer e realizações. E todos ao seu redor voltarão a sorrir com a sua presença.

4 comentários:

  1. Hum que lindo esse texto,aliás você sempre arrasando.Parabéns mais uma vez ,acho que vai ajudar muitas pessoas.

    ResponderExcluir
  2. Apesar de a maioria não dar a devida importância, o tempo, e só ele mtas vezes, é a chave q faltava p/ abrir a porta da compreensão daqueles problemas q tnt lutamos p/ solucionar em vão.
    Estamos numa época em q o imediatismo fala por nós e mto fazemos sem pensar e, com isto, deixamos de dar importância àquilo q realmente é relevante p/ nos dedicar a coisas fúteis. Saber esperar e ter paciência são dádivas q mtos vão perdendo ao longo do caminho devido aos tombos e tapas da vida, e q mtos ainda não terão oportunidd de adquirir ou recuperar pois não conseguirão dar o necessário tempo ao tempo...
    Mas não adianta deixar pra depois ou pro outro aquilo q só depende de nós. Cm vc disse, é preciso deixar de lado a vitimização, a resignação e a mania de perseguição e revirar nossa bagagem de conheci/s p/ encontrar as respostas certas e tomarmos atitudes corretas enqto ainda há tempo; ou p/ reconhecermos q aquilo q não está ao nosso alcance só o tempo poderá responder.
    Bela reflexão, belo txt e bela música! Parabéns Renato!
    BJSSS - Edneia

    ResponderExcluir
  3. Patricia Ramos Sodero10 de maio de 2015 21:59

    Boa noite,Renato!Bom chegar aqui e ver que uma outra linda reflexão havia sido escrita.Ah...o tempo!Tudo o que mais precisamos em diversas situações.Muitas vezes nos vemos perdidos,achando que realmente a solução de algum problema,está longe do nosso alcance.Queremos decisões mais q rápidas.Mas,não é no nosso tempo que "coisas"acontecem e nada é em vão.Situações difíceis vêm para realmente nos testar.Todo o tipo de decisão que precisamos tomar,é necessário o tempo para a melhor solução.Senão,estamos sujeitos a fazer uma besteira q talvez não tenha volta.Nesse caso,outra fórmula muito importante e essencial como "parceria",é a paciência.Devemos saber passar por cada acontecimento da vida,sem achar que tudo está acabado.Basta olhar para o lado,que verá situações piores que a sua e que não fazem as pessoas perderem o ânimo de lutar por resultados positivos.O vídeo que acompanha este belo texto,mostra bem que depois de uma grande tempestade,vem a bonança.É assim que devemos agir,mesmo que difícil.
    Muito linda a música...belo gosto!Parabéns por mais uma reflexão,para àqueles que não acreditam que tudo pode acabar bem,de acordo como vemos o problema a enfrentar.
    Bjossss e até muito breve!

    ResponderExcluir
  4. Tudo tem seu TEMPO certo pra acontecer e assim a vida mudar 'da água pro vinho'. Sem medo de arriscar e acreditar q irá dar certo. Lógico pra isso, precisa ser bem pensado pois não terá volta. Vem ás lutas, sacrifícios pra depois vim as alegrias e vitórias. Quem realmente quer o sonho torna-se realidade. Posso lhe assegurar q depois da realização é um gosto de prazer e satisfação, dando oportunidade da aquele 'sonho' tão almejado está dando muitos frutos bons. Andréa Cardoso.

    ResponderExcluir