terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

O Povo do Brasil

     Olá pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim.
    Depois de meses de ausência para colocar a vida em dia, resolvi dar uma passadinha por aqui para bater a poeira, e ao mesmo tempo deixar um texto para reflexão de todos que estão indignados com a situação atual do Brasil.
     Sei que muitas críticas e o olhar de censura daqueles que calam à força os desafetos poderão surgir desta motivação. Mas, na verdade, eu acho que todo aquele que tem acesso ao meio de comunicação tem uma função maior que vai além da mera crítica vazia - ou da insatisfação com a vida e a sociedade. Ainda que seja via internet, - que é considerado um veículo marginal aos olhos dos intelectuais de plantão que não querem mudar o estado de coisas que nos oprime – eis aqui a resistência ao alcance de todos.
     O objetivo – além de resistir - também é entreter, divertir as pessoas e interagir através da provocação que leva à reflexão. E eu sou aquele que escolheu entreter e provocar pagando um preço alto por isso, justamente por essa postura de me colocar contra injustiças e patifarias em todos os sentidos da vida.
     Bem... Parece meio deprimente falar assim, mas eu me sinto isolado. Eu me sinto como se, de alguma maneira, fosse um nada ou um incomodo para algumas pessoas que dizem fazer algo por mim e por todos nós, e não fazem.
     Na minha observação, todo aquele que toca nesse tipo de assunto cria constrangimento e incomodo nessas pessoas que detêm o poder nas mãos; ou àqueles que dominam por debaixo dos panos os movimentos da criminalidade. Confesso que por diversas vezes fui orientado para não me meter nisso; esquecer a indignação e fugir do protesto. Ou simplesmente deixar a vida correr solta, pois tudo acabaria se encaixando – e fosse por desejo do povo, ou não, a solução e os proveitos nunca estariam ao meu alcance, exceto se eu fosse um candidato a qualquer cargo público.
     Pois é. Acontece que sempre optei em fugir disso e dormir com a consciência tranquila. E usar este espaço para fazer algo útil não apenas para mim. Não se trata de ser altruísta. Não, não! Eu faço e fiz porque me faz bem. E é disso que sobrevive o meu ímpeto e o meu prazer.
     Há um sentimento que me faz imaginar que adiante teremos tempos sombrios para o povo brasileiro. Um tempo difícil, perigoso e dramático. Onde a verdade deturpada de alguns dos nossos lideres baterá de frente aos direitos básicos da maioria da sociedade, como acontece na Venezuela. Onde o interesse espúrio da maioria da classe política criará mais mecanismos para encobrir falcatruas e inocentar “companheiros” – como sempre.
     Imagino que a falência da república esteja maquiada por uma grave chantagem emocional, através de mensagens subliminares repetidas até a exaustão nos meios de comunicação subservientes a todos os que estão no poder - imagino que logo aparecerão no rádio e tv os longos discursos com justificativas para falsear a verdade e ludibriar novamente o povo menos instruído.
Imagino que a maioria do povo tenha perdido totalmente a medida de suas obrigações cívicas e até a memória – um povo desmemoriado é um povo vulnerável e sem voz - muito conveniente aos que estão lá em cima.
     Enquanto isso todos nós presenciamos a representatividade de um estado moralmente falido, agindo através da força policial que reprime com poder bélico as manifestações legítimas que pipocam aqui e acolá por uma sociedade melhor.
     Mas nunca vemos a presença desse estado nas comunidades carentes com essa mesma disposição, ou ainda nas desocupações, que não seja através da força de repressão. Não há nenhuma ação com acompanhamento de psicólogos, professores, enfermeiros, médicos ou pessoas que levem a paz; ou qualquer um que traga conforto aos menos favorecidos. Não! O que assistimos na tv é a presença do gás lacrimogêneo, dos cacetes batendo em escudos, da espada em riste e da bala de borracha. Depois chega o trator derrubando as paredes, atropelando os móveis, os utensílios e os trapos deixados para trás.
     Por isso as comunidades criam seus próprios lideres que lhes dão proteção, as milícias dominam morros no Rio de Janeiro. O crime cria e oficia seu próprio partido em São Paulo, e se espalha pelo Brasil através desse poder paralelo surgido da omissão total do estado. As novas leis do submundo do crime emergem para toda a sociedade com seus tentáculos; são leis que determinam regras de comportamento e punição muito severas para qualquer um dos bairros das periferias (ou zona central fora dos muros com cerca elétrica e portaria monitorada) – seja um criminoso comum ou cidadão de bem. Os julgamentos se dão via tecnologia moderna: smartphones, vídeo conferências; tudo diretamente de celas com TVs de leds, aparelhos de som potentes e freezer novinho. Chic isso! E essas leis não foram criadas pelo bandidinho pé de chinelo que apodrece lá na cadeia liderando meia dúzia de comparsas. Essas leis nasceram das mais perigosas e engenhosas mentes que oprimem a sociedade - independentemente da vontade de mudança da maioria: o poder legislativo; o poder legitimamente eleito pelo povo contra ele mesmo.
Vou dizer: eu me sinto isolado, perdido. Estou rodeado por quadrilheiros e leis vindas de cima e de baixo, sendo impostas à revelia por todos os ângulos da minha existência.
Eu me sinto totalmente vilipendiado e torturado. Estou numa fronteira entre a violência e a inércia – tudo muito conveniente ao estado.
     Eu me sinto como suspeito, criminoso e vítima; como alguém que deveria ser calado pelos outros e abaixar a cabeça ao sistema dos poderosos ou do crime. E desta forma não sofrer mal algum de qualquer lado. 

     Sou alguém que sofre de um ímpeto que confunde certo e errado; alto e baixo; direita e esquerda. E no final de tudo relembra do termo “dívida interna” que descreve bem o que os políticos devem à população. Eles devem aos ricos, aos pobres; aos sem-teto; aos desmemoriados; aos desencaminhados; aos índios, brancos, pardos, mestiços e negros. Devem aos parques públicos, ruas, becos, vielas e avenidas. Devem aos cristãos, espíritas, judeus, budistas e muçulmanos. Devem à saúde, ao transporte público e à educação. Devem água, comida e lazer. Devem aos sãos, aos loucos, enfermos e curados. Devem aos héteros, gays, lésbicas e também aos indecisos. Devem ao cinema, ao teatro e ao circo. E devem principalmente aos palhaços e marionetes com os quais se divertem todos os dias: nós, o povo do Brasil.      

9 comentários:

  1. Verdade sr. autor. E esta indignação não é só sua.
    Estamos abandonados a nossa própria sorte. Só Deus é por nós. Os direitos do cidadão são desrespeitados a todo o momento, restando apenas os deveres. E o pior, não tenho ilusões de que haja melhoria, infelizmente. A cada escândalo, a cada caso de abuso e de tantos absurdos a que temos notícia, tenho a impressão de que não nos causa mais tanto espanto. Mas precisamos nos indignar sempre e não aceitar esta situação como normal. Somos motivo de chacota em outros países pela nossa inércia e aceitação.

    Ah, além da poeira tb encontrei algumas teinhas de aranhas por aqui ;) .
    Seja bem vindo... volte sempre, a casa é sua rsrsrs.

    Bjo... Edna :)

    ResponderExcluir
  2. Patricia Ramos Sodero25 de fevereiro de 2015 21:38

    É,meu caro autor...Depois de meses sem dar o "gostinho" de lermos algo publicado em seu blog,voltou colocando a "boca no trombone",falando um pouco por nós todos.Infelizmente a realidade que nosso País vive é essa mesmo...Somos prisioneiros de uma mentira chamada democracia.Acredito que o povo brasileiro ainda não saiba a força que tem.Se fossemos mais unidos,conseguiríamos mudanças a nosso favor;não estaríamos no abandono que abrange tantos ítens.E o duro é falar e ter a consciência que os verdadeiros culpados,somos nós mesmos,quando vamos as urnas e votamos nesses incompetentes,na certeza(incerta)de que algo vai melhorar,que vai ser feito algo a nosso favor,classe POVO.Muito difícil ver um País tão rico como o nosso,sendo destruído e desrespeitado a tal ponto.Tinha tudo para dar certo e até ajudar àqueles "vizinhos" que precisassem.Como disse nossa colega em seu comentário,também concordo e estou sem perspectiva em termos de FUTURO.Agora resta apenas não nos entregarmos totalmente a esses "vermes" e fazer cada um a sua parte,para que ao menos tenhamos a consciência limpa sempre.E só Deus mesmo por nós todos!
    Ótimo texto de reflexão,Renato,para quem ficou tanto tempo sem pronunciar nada.Um verdadeiro grito por todos nós,brasileiros!Parabéns!
    Não demore mais a escrever....estamos com saudades de suas estórias...
    Bjs e até o próximo!

    ResponderExcluir
  3. Olá Renato,
    À vezes é necessário esse tempo de reclusão, voltados para nós mesmo e arrumar a vida , tanto exterior quanto interior...rs. Bem vindo de volta.
    Realmente nosso país está passando por um momento bastante conturbado, é obvio que essa corrupção toda que está nos noticiários todos os dias sempre existiu, desde sempre, mas ultimamente a coisa está tão escancarada, que nos embrulha o estômago. Ficamos indignados de ver a falta de investimentos na saúde, educação, segurança e todos os outros serviços do qual pagamos ao estado, município e união tantos impostos, para sermos tão mau atendidos.
    Em raros momentos o "gigante",como se denominou o povo brasileiro, resolve acordar e se manifestar em relação aos seus direitos e não só deveres, mas logo o agito passa, ou pior, se transforma em vandalismo por um bando de "bandidos" que são infiltrados nas manifestações, conforme já foi dito pela mídia, com a real intenção de desviar o foco do verdadeiro problema, e aí...Volta a dormir, mesmo que contrariados. Como vc mesmo citou, que bom que hoje temos ás redes sociais, que ajuda a trazer tanta sujeira à tona, que antes ficava encoberta e mostar nosso descontentamento. Estamos todos com um grito preso na garganta, clamando justiça, mas ainda somos um povo muito acomodado, voltados aos nossos próprios problemas, e assim vamos levando à vida do jeito que nos é possível. O que não deixa de ser um ato de covardia de cada um de nós.
    Um abraço Renato.
    Sônia.

    ResponderExcluir
  4. Sei lá... Essa é minha resposta pra essa manifestação que só tem agito, confusão e quebra-quebra e quem saí prejudicado no final disso tudo: NÓS. O povo esquece q 'políticos' não passam por apertos como nós passamos como: saúde, educação e segurança! Engraçado q o 'mesmo povo' q grita, esbraveja não tem atitude certa.. E muitos q querem a presidente Dilma fora, irão achar q o Aécio daria fim a corrupção.. Acorda! Vamos ser mais realistas.. O país anda doente faz muitos anos.. O mandato q está agora não daria solução ao caso.. É muita sujeira e agora está vindo a tona... Andréa Cardoso.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns por expressar o que muitos não tem coragem de dizer. Chegará um dia em que nossa Nação se levantará e acordará para lutar por um país menos corrupto, será um começo.
    E quem sabe, homens dignos no comando de um povo tão sofrido possa se tornar realidade. .
    Bjs,
    Angela

    ResponderExcluir
  6. Seu texto define exatamente o sentimento de milhões de brasileiros! Estamos encurralados, em meio a governantes corruptos e inescrupulosos, e marginais que querem tomar conta do país, que têm mais direitos do que todos nós, que pagamos nossas contas e esses impostos absurdos a que somos submetidos. Não vejo um futuro promissor, infelizmente! Não temos como vencer tanta gente hipócrita a quem foi dado poder "ilimitado", pois a maioria, ignorantes, não por natureza, mas por imposição, sempre optará por aquele que lhe oferecer mais! Mesmo que esse "mais" seja uma camiseta e um chaveiro. Ótimo texto! Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Bem vindo de volta, Sr. Autor! Depois de um longo e tenebroso verão, vc voltou afiado, heim?! Kkkkk. E, cá pra nós, diante da atual situação e da q ainda está por vir, um bom entretenimento com destino à reflexão, é, no mínimo, mto salutar!
    Sem dúvida, nossa função aki vai mto além de ficar alimentando meras ilusões a respeito do q a vida tem a nos oferecer ou sobre o retorno q damos a ela. Por isto, meu Querido, não se sinta isolado, pois agora, msm aqueles q antes não tinham uma visão coerente da realidd, foram obrigados a arregalar os olhos para uma situação mto diferente daquela utopia de outrora. Da msm forma, tbém sentem-se um nada e estão querendo, a td custo, ser realmente um incomodo p/ aqueles q dizem fazer por nós e não fazem, e assim (quem sabe!!!) possam recuperar suas memórias e modificar ou amenizar este iminente futuro sombrio!
    Cm vc disse, Renato, violência gera violência e a situação acaba tornando-se uma bola de neve (neste caso “bola de fogo”) indimensionável. De um lado está o “O Poder” de dirigentes q simulam dedicação e investimento visando melhorar a qualidd de vida do povo através de força policial e de pseudos programas sociais. Do outro, iludido por esta representatividade falida, está o Povo minimizado e deteriorado na sua capacidd de desenvolvimento intelectual, cultural e moral .
    Estamos na msm fronteira, meu caro, vivenciando aquele famoso provérbio “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come” (seria cômico se não fosse trágico, não é?). Isto me faz lembrar outro provérbio “quando a água chega no umbigo a gente aprende a nadar” (este talvez seja de autoria de minha digníssima mãe – kkkkk); quem sabe agora, com esta situação tendente ao caos, a gente possa finalmente deixar de ser palhaços e marionetes e nos tornemos um povo consciente e orgulhoso de ser Brasileiro!
    BJSSS!!! - Edneia

    ResponderExcluir
  8. 'Alguns' dizem que o povo não sabe votar! Por acaso quem dizem sabem? Taí os que falam tanto que agora querem IMPEACHMENT da presidenta.. Quanta ignorância dessa 'elite de merda', desculpe aqui seu autor, mas dá raiva de tanta babozeira que ando lendo e escutando.. Danilo.

    ResponderExcluir
  9. NÃO COMPACTUO COM GOLPE CONTRA A DEMOCRACIA "IMPEACHMENT" SEM O DEVIDO PROCESSO É GOLPE É COVARDIA. ANTES DE AFASTAR A DILMA É PRECISO RESPEITAR A CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Antes da Policia Federal concluir as investigações, antes da CPI dar seu relatório, antes da judiciário julgar, qualquer tentativa tanto para pedir a volta dos militares, quanto para afastar a presidente, é golpe sim. E todo brasileiro que ama esse país não deveria apoiar essas manifestações prematuras.Temos que respeitar a vontade das urnas, fortalecer os instrumentos democráticos, responsabilizar quem praticou atos ilícitos, e dar direito á ampla defesa e ao contraditório. Antes disso é GOLPE, nem a imprensa deveria apoiar um GOLPE contra um governo democrático. A Gente sabe do grau de corrupção que assola o Brasil, temos que ter paciência e esperar os desdobramentos, acreditar nas instituições e na democracia, e por ela deveríamos lutar, não com armas. ódio, ou rancor. Nesta hora vale debater. Seja quem for, de qual partido for, se ficar provado desvios, a punição deve ser dentro da lei. Temos uma constituição a zelar. Feliz do povo que honra sua constituição e por ela devota sua vida.

    Paulo.

    ResponderExcluir