Discernimento


    Olha gente, definitivamente eu não funciono sem música. Preciso de alguns minutos de meditação e um solo suave de piano ao fundo, para só assim as ideias fluírem de forma congruente. Aí a mente se abre e os pensamentos viajam.
      Vamos lá... O tema de hoje é um aconselhamento, uma iniciativa muito interessante para trabalhar dentro de cada uma de vocês um tipo de pensamento de libertação.

     É bom que saibam que a pré-disposição para criar uma vida melhor depende, única e exclusivamente, da saída do aprisionamento imposto por aquilo que nos foi passado desde a mais tenra infância. Essa história de destino, carma, alma-gêmea ou de sofrimento em nome de um bem maior, é tudo mentira. Uma mentira que nos fizeram acreditar e que nos aprisiona. Essas coisas fazem com que a gente não evolua, não vá adiante. Essa história de sempre dizer que está tudo marcado não passa de uma escravidão ideológica - uma lavagem mental que nos prende num circulo vicioso interminável.

      O roteiro da vida de cada um de nós deve ser escrito a cada momento, a cada vivência; com novas e velhas experiências. Jamais devemos acreditar em coisas que não existem e que nos impedem de crescer. Devemos de verdade abraçar a vida, arregaçar as mangas e construir uma vida melhor através dos próprios talentos e dons. Caso contrário, toda genialidade e criatividade serão tolhidas, e isso vai empobrecer o espírito, fará com que percamos a alma e o sentido da vida.

       (Aí - eu presumo - vocês dão de ombros com as minhas palavras e ainda insistem em acreditar em destino ou em outras superstições que a nada levam. Insisto pelo lado prático, que seja preciso um saneamento de ideias e ações – tudo com discernimento e bom-senso. Eu sei muito bem que algumas leitoras – com filosofias diferentes das minhas – poderão reclamar deste tema. Vão me dar bronca, vão mandar comentários anônimos me criticando, algumas até dizendo que pareço um tanto incoerente ou inconstante. E só porque falei isso algumas vão inclusive fazer beicinho, ficar de birra, melindradas, talvez até chorar de raiva por verem aqui um recado tão direto e que serve para ao menos pensar. Dá trabalho pensar, dirão algumas, né?)

     Por isso que nessa vida existem pessoas tão bem sucedidas e outras não. Dentro de cada um de nós mora a fonte do poder e do bem-estar. Aquelas que vivem se lamentando pelos cantos, dizendo que o próprio destino é ruim, jamais alcançam o que foi idealizado. Não existe essa coisa de destino bom ou ruim, existe sim o livre arbítrio e o discernimento para realizar as coisas no momento que a gente se sente feliz. A boa semente existe dentro de cada um e pode florescer de acordo como a própria pessoa se trata ou trata aqueles que a rodeiam. Sinto dizer, mas o meu coração se entristece, quando vejo uma pessoa se massacrando ao falar mal de si mesma ou dos próximos. Ela acorda de manhã fazendo cobranças, vai dormir emburrada porque as cobranças não surtiram efeito, e assim segue a cada novo dia. Onde está o amor para com ela ou com os outros? Onde está o sorriso no rosto? Que pena que tudo é assim na vida desta pobre criatura... Quando isso vai acabar? Quando ela vai perguntar a si mesma que precisa mudar essa cara? Por favor, entendam bem essa parte a que refiro... Não é só pôr na cabeça e repetir: “Estou mudando... Estou mudando, ou então, vou tentar, vou tentar”. Isso não basta, nem para ela que acordou emburrada ou algumas de vocês. É tudo questão de atitude. A atitude se sobrepõe e confronta os ensinamentos impostos pelos pais, pela igreja ou pela sociedade, e que talvez, alguns deles (em sua maioria), não sirvam mais para a vida de agora. Cada qual cria a próprias leis com o passar dos anos. As leis são internas, são os pensamentos e desejos mais íntimos que possuímos. Pai, mãe, religião e sociedade servem como os primeiros professores, a nossa primeira orientação de como se conduzir, posicionar e aceitar as regras de convivência – cada um com o seu estilo de educação, orientação e filosofia. Mas chega um tempo que é necessário se libertar do ninho, da zona de conforto. A libertação é feita de idealização e construção do próprio individuo. E isso cada uma de vocês – fiéis leitoras – deve aprender o seu próprio jeito de fazer e ser feliz. Então eu volto a perguntar: “Quando você (sim, é exatamente com você que estou falando, o recado é direto agora) vai mudar a sua estrutura espiritual para transformar essa cara? Quando você vai parar com esse autoflagelo se fazendo de vítima? Quando você vai parar de culpar os outros e finalmente se responsabilizar por seus próprios atos? Saiba, quando as atitudes ruins pararem de acontecer, tudo fluirá melhor do jeito certo, faça e tenha essa certeza. Eu queria tanto ver um sorriso nesse rosto lindo, para se desfazer de vez essa cara que você mesma criou. Aprenda que é através do sorriso franco que a alma se expressa verdadeiramente. O ato final é internalizar a mensagem responsável pela mudança que tem que vir e fortalecer esse esboço de sorriso, e tudo só depende de você. Olha... Não deixe as coisas para depois, - como você sempre fez no passado - faça agora o que tiver que fazer, não hesite. Não adie as atitudes boas, não se acovarde diante do desconhecido. Sorrindo você finalmente abrirá as portas da sua vida para a felicidade. Essa é a maior força para ir agindo, construindo e desafiando tudo aquilo que você aprendeu e viu que não deu certo. E principalmente, reconstruindo tudo aquilo que você mesma reclama que nunca resolveu nada na sua vida. Tem um segredo, aquilo que a gente tem medo é que tem mais chance de dar certo. Fomos tão habituados a ver com olhos de tristeza os nossos potenciais que nos acreditamos impotentes. Isso cria o medo de arriscar e sem o risco não existe crescimento. Esse medo nos puxa cada vez mais para baixo. Isso talvez tenha acontecido com você, não é mesmo? Veja aquelas pessoas que começaram ao seu lado, que estudaram com você. Veja onde elas estão agora na vida. Elas evoluíram, não é mesmo? E você continuou marcando passo pela vida toda, trilhando o mesmo caminho que foi imposto por todas aquelas regras castradoras da primeira infância. Mas agora tudo pode ser diferente. Existe uma grande chance diante de si, segure-a. Ela oferece a capacidade de gerir novas ideias e estabelecer uma nova vida. E desta forma discernir melhor entre o que é certo ou errado, com a consciência da iniciativa própria de quem finalmente se liberta das amarras do passado.  

          

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Luz Fraca Do Abajur

Decisão

O E-Mail-Carta Parte 8