sexta-feira, 21 de junho de 2013

Eu Sou O Povo




A relação que temos nunca foi boa em sua essência,
Mas hoje se tornou fria e indiferente por sua postura.
Durante muito tempo ela pareceu mecânica e feita por fazer.
Meio assim: estar por estar, existir por existir.
Isso quando não se tornou pior; uma submissão mecanizada.
Entendo que talvez nem me conhecesse direito ou
Soubesse da minha força.

Com passar dos meses tudo ficou enfadonho e sem proximidade.
Posso garantir que aprendi a lidar com isso,
Mais do que qualquer outro momento nessa vida,
Aprendi como é errado a prática de ações com a falta de noção,
Feitas por mentes sem desejos sinceros nas relações mais profundas,
E nas mudanças necessárias.

Caso contrário, se elas existissem, modificaria o meu prazer de viver,
Com o gosto de realizar qualquer coisa boa,
No ritmo e na intensidade de cada momento.
Você nem imagina o que perdeu ao excluir sensações de proximidade comigo.
Elas seriam o combustível do nosso fogo, da nossa crença um no outro.

Imagino que deva continuar intelectual, racional e distante.
Mas e o lado emocional e humilde para nos unir onde foi parar?
Seria por isso que os atos que praticou tiveram esse fim?
Cenas que nunca exigiram transformações surpreendentes
E nem momentos de conquista.
Uma pena que tenha reduzido o seu mundo assim,
Matando-se de fome e gelando o próprio sangue no silêncio.

Se você alimentasse suas atitudes com todas as forças que o amor injeta nessa inspiração,
Faria tudo o que há de mais envolvente nessa terra
Alegrando o meu mundo por muito tempo.

Revelo que a minha força virou-se na curiosidade, na paixão e na ação da revolta.

Quando você deixou a sua pequena chama se apagar,
Trouxe monotonia e comodismo em nossas vidas.
E como qualquer outra coisa feita sem sentimento, criatividade ou surpresas,
A relação entre nós nesse momento ficou misturada ao medo e
Intimidada pela insegurança do que vem pela frente.

Quanto você perdeu por ter um pensamento tão pequeno,
Numa coisa tão grande e bonita?
Poderíamos ter desfrutado tantas maravilhas diferentes e jamais repetidas.
E eu continuaria acreditando... Claro que sim!
Nem me sentiria mais rejeitado e ignorado.

Não há sentimento que seja igual ao outro,
O de ontem ou de hoje,
Mas você nunca se permitiu perder tempo com palavras
Ou com ações para a vida melhorar;
Apenas viveu a sua rotina.

Nunca haverá odores iguais aos dos momentos presentes,
Nem sons, fogueiras ou clarões nos ministérios.
Nem tintas no rosto em verde e amarelo ou balas de borracha atiradas a esmo,
 - Tentativa de calar o meu ímpeto de verdade e justiça -
Eu sou o povo e você o poder
E temos o representante anunciando rendição com cara de bunda na tv.

Mas se hoje nos esforçarmos, você e eu,
Poderemos novamente sentir cada grito como se fosse uma poesia.
Nunca existirão outros olhares com o mesmo brilho de indignação,
- Olhares do primeiro momento -  
E nunca os mesmos motivos, nem os mesmos gestos patrióticos
E nem a mesma ação inconseqüente dos vândalos;
Pois quem ama, ou é tomado pelo verdadeiro amor,
Torna-se capaz de coisas impossíveis: ato de ternura ou de heroísmo.
Não importa a idade, na maturidade ou na inocência.
Seja o ato feito de perversidade ou apenas de arte.

Fico por horas imaginando como estará você agora,
Ou quem sabe amanhã quando o sol nascer,
Assistindo outra vez na tv as ruas cheias de incertezas
E com as marcas definitivas da destruição.
Prova irrefutável da sua paralisia e incompetência.

Acaso, de verdade, tenha se fechado para dentro de si,
Pois deve estar completamente inerte e tremendo de medo,
 - Em sua representação -
Encontrará muitos sentidos maiores ou menores para reverter toda situação.
Finalmente verá todos os motivos que desembocam nos meus sentidos.
Feito um rio que corre alimentado
Por seus afluentes de águas selvagens.
E juntos, num ritmo natural, como o grito das ruas,
Misturando amor e rebeldia,
Criaremos nessa união o motivo justo para todo o resto que nunca vivemos,
Ainda que seja essa uma relação desigual, e que sempre se perdeu na essência.
A distância dos elos que nos unem se aproximarão contra sua vontade,
Pois eu sou o povo e você o poder emanado por mim.

8 comentários:

  1. Mais um texto perfeito,para essa época tão louca em q estamos vivendo.Onde o povo acordou e afrontou o poder,não se deixando mais subjulgar por ele. O “amor” de antes não existe mais,ele precisa ser renovado,ele precisa de novos horizontes,de novas metas,ele precisa ser valorizado,precisa de igualdade de direitos e deveres.Não haverá mais espaço p/o q antes era imposto sem se quer ser questionado,é hora de virar a mesa,de lutar e exigir respeito e dignidade.
    “...Ainda que seja essa uma relação desigual, e que sempre se perdeu na essência.
    A distância dos elos que nos unem se aproximarão contra sua vontade.
    Pois eu sou o povo e você o poder emanado por mim.”
    Perfeito, parabéns Renato.Bjus.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do seu texto, muito bom expôr aqui o seu desabafo e indignação sobre o que está acontecendo, no nosso Brasil. Como diz:"O GIGANTE ACORDOU", espero que os governantes prestem atenção que nós brasileiros estamos de saco cheio de sermos roubados, marginalizados e humilhados a tantas coisas que acontecem e nada de serem resolvidas. Vamos abraçar e se unir, pois do jeito que está não pode ficar. Parabéns!!! Adriana.

    ResponderExcluir
  3. Patriotas todos nós somos meu amigo Renato! Mas não vamos ser hipócritas, o Brasil vem sofrendo de corrupção desde da descoberta do Cabral! Se formos pesquisar tudo que já passou e ver o caos que está agora, foi consequências a muitas atrocidades, o nosso país está doente, não tem por onde correr, o manifesto na minha humilde opinião foi apenas o que a população já não aguentava mais, ver tantos gastos inúteis, querendo passar lá fora como modelo de país, que não existe.
    Tenho como pensamento, enquanto não mudar as leis, ficará como está, acabando em PIZZA! Não culpo partido nenhum, o que presto atenção são atitudes, que não depende de um só, se não se unirem para o progresso do nosso País, nada mudará infelizmente....

    ResponderExcluir
  4. "ORDEM E PROGRESSO" ISSO TEM QUE SAIR DO PAPEL E COLOCAR EM PRÁTICA, MUITO BLÁ,BLÁ,BLÁ, NÃO IRÁ RESOLVER PROBLEMAS SÉRIOS. MANIFESTAÇÕES QUE ACONTECERAM COM TODA RAZÃO, POR INÚMERAS QUESTÕES PENDENTES E IMPUNES DO NOSSO GOVERNO, MOSTRA UMA COISA O BRASIL ESTÁ UMA VERGONHA.... ABRAÇOS SAMUEL

    ResponderExcluir
  5. Belo texto Renato. Complexo e claro. Contudo, não quero jogar sal no néctar que essas pessoas estão saboreando mas, infelizmente esse gigante continua adormecido. Deus queira que eu esteja errada só que, tudo isso é, infelizmente, ao meu ver, manobra política. E pior, politicagem. É legítimo o direito de manifestar-se, e mais legítimo o que esse povo reivindica nas ruas. Acredito que todos lá estejam por um fim democrático e civilizado, de fato. Porém enquanto não lutarmos por uma educação decente, estas manifestações serão como pérolas aos porcos. As pessoas saem as ruas e lutam pelo que acreditam. Mas não vêem o que realmente está por traz de tanta luta ou demonstração de união e poder. O povo tem o poder, e como cavalos, não se deixam descobrir. Nas próximas eleições, votarão em quem às colocou nessa caminhada pelas ruas e, se sentirão como detentores do poder que emana do povo, pelo povo e para o povo. E aí vai o povão, se deixando levar, mais uma vez, pela onda da novidade, elegendo as mesmas pessoas e os mesmos interesses de sempre. O que ilegitima esse ato de manifestação pública, por melhores condições de vida. Enquanto não chegar as próximas eleições e, enquanto não elegermos os proximos servidores do povo, serei como a maioria que está sentada, inerte, na frente da TV sem fazer nada e sendo visto, com razão, como um bando de incapazes de lutar por seus direitos. Já chamaram-me bitolada. Eu digo o que sou: uma observadora, que adora política e que há 500 anos o brasileiro é iludido e sente-se feliz, matamos pessoas que lutaram por condições dignas de uma nação em plena didatura e, há ainda hoje, há pessoas que acreditam que os “revolucionários” eram comunistas. Isso perdurará, até o dia em que o brasileiro puder estudar e aprender, não somente a ler e escrever mas, a interpretar textos escritos ou falados. Neste dia, quando nosso país tiver bibliotecas, como têm bares, talvez uma manifestação como as vistas nestas semanas, seja realmente pelo povo e para o povo. Me perdoem os poucos e parcos cidadãos, no teor íntegro da palavra, que conseguem ver o que este texto quer dizer. Entretanto, enquanto os manifestantes de 2013, que são iguais aos cara pintadas, pensam que estão mudando a história do país com suas manifestações e vandalismos, a imprensa mundial nomeia isso como “primavera tropical”. Seria muito hilário a França, a Argentina, a escócia ou qualquer outro país que conquistou sua independência na base da guerra, achar nosso ato verdadeiro e emanado do povo. Repito o que havia dito acima: Espero que eu esteja enganada. Mais do que isso, espero estar errada, sinceramente. Mas, enquanto as pessoas não souberem soletrar o próprio nome, não posso admitir que estas manifestações sejam legítimas.

    ResponderExcluir
  6. Muito bem colocado cada palavra aqui, a sua revolta é de todos nós brasileiros, sendo injustiçados e coagidos por governantes corruptos. Queremos ou melhor exigimos um Brasil melhor, temos os nossos direitos pagamos tantos impostos e onde vai parar! Uma manifestação é um ato de clamor onde a população está demasiadamente infeliz.

    Grande Beijo!


    Lúcia Bilbau

    ResponderExcluir
  7. Oi Renato. Lindo texto. Sábias palavras. Quando as pessoas se unem e lutam por algo, elas geralmente conseguem vencer, porém é necessário ter certeza do que se deseja alcançar, permanecer unido. Chega de violência, impunidades, salários altíssimos para alguns e praticamente nada para outros. Pagamos tantos impostos e para que??? Para onde vão toda quantia arrecadada? Por qual motivo o esporte é mais valorizado do que a saúde, a educação, entre outros??? Tantas coisas erradas que precisam ser revistas e refeitas, mas será que quem tem o poder esta interessado em mudar as coisas para beneficiar a maior parte da população? População essa constituída por trabalhadores assalariados, os quais tem que tirar do salário mínimo o aluguel, contas como agua, luz, alimentação, infinitos impostos e acredito que não sobre mais nada do salário para pagar outras coisas ou adquirir.... enquanto que alguns ganham salários altíssimos e ainda não precisam colocar a mão no bolso para pagar a sua locomoção, entre outras coisas, pq isso é pago por nós... O povo tem que continuar lutando até que as coisas sejam mudadas, não adianta ir para as ruas protestando por tantas coisas e parar por ter conseguido apenas parte do que se deseja. Em breve teremos novas eleições, tomara que o povo esteja bem acordado e veja bem para quem dará o seu voto... Manifestar-se é justo porém sem depredação. É preciso fazer manifestações pacíficas e sem manobras políticas. Desejo estar errada, mas penso que por trás da maioria das manifestações existam outras coisas acontecendo e que elas servem para tirar a atenção... Tomara que eu esteja totalmente enganada. Se não é o que penso, então por qual motivo o povo deixou as ruas? será que a luta foi só para que as passagens fossem abaixadas? só pelo passe livre???? e as outras coisas, tais como a corrupção, falta de hospitais, escolas, precariedade na saúde, educação... deixou de ser importante e necessário????

    Um abraço. Vera

    ResponderExcluir
  8. Patricia Ramos Sodero4 de julho de 2013 22:15

    Faço minhas, as suas palavras,nesse belo texto,onde expressa tão bem a vontade do povo brasileiro,em ver o seu País em uma situação melhor.Do jeito que anda,a tendência é a piorar,infelizmente.Nosso dinheiro é utilizado para tantas coisas desnecessárias,sendo que nas principais,nos deixam em situações precárias.Não digo que o esporte não seja importante.Sim,é!Mas saibamos dividir as coisas.Nos dêem estruturas em outras circunstâncias também!Somos um país rico...só somos infelizes em seus governantes.E é nisso que temos que prestar atenção também:nós é que os colocamos no poder!Então,povo brasileiro,vamos prestar atenção:A partir de agora que vimos que temos força,vamos saber em quem votamos, para podermos reivindicarmos os nossos direitos.Fica a dica.Parabéns,Renato,por "gritar" por nossos direitos,mesmo que de forma escrita.
    Bjs e até o próximo...

    ResponderExcluir