terça-feira, 4 de junho de 2013

Boa Reputação



Manter a boa reputação.

Era essa a sua obsessão.

Impossível adivinhar todos os motivos no olhar.

Via-se: pessoa dura nos sentimentos.

Apenas uma fraqueza:

Obrigada a ser sincera, verdadeira.

Foi ensinada assim.

O limite sempre curto para tudo,

Momentos devidamente analisados, pensados, sem discussão.

Opinião poderosa, esmagadora...

Havia algo que a desconcertava: pessoas lhe questionando.

Gente forte e determinada quanto ela,

Gerava uma nova ameaça.

Gente rivalizando: conflito de opinião.

Momento de refletir: demorando dias até reagir.

Seguia-se:

Transmissões falhas, quase impossíveis.

Pessoa nada comum, dificuldade de comunicação.

As forças se desgastando: humor em cacos.

Ânimo cáustico e venenoso.

Atos de boa vontade:

Alguém tentando cuidar dos seus ferimentos; saindo ferido.

Puxando assunto: ar de interrogação.

Atitude que derrota e tira do prumo: respostas ríspidas, sem sentido.

“O que tem a esconder?”

Pergunta direta num jogo estranho.

Duplicidade em seu comportamento.

Ela sabia que eu sabia de algo,

E tinha toda certeza do meu amor.

Era inevitável que seu segredo não durasse muito tempo.



Questionar-me sobre o fato de estar fazendo um esforço absurdo?

Nem era mais a questão.

Quanta incoerência!

Ela despertava em mim um sentimento estranho:

Compaixão; quase provação. 

E ela: uma típica egoísta se fazendo de vítima.

O meu coração sofrendo em cada negligência.

Um coração aberto e acolhedor.

Tudo me deixando triste: um jogo sem regras de boa convivência.

Ela: firme como diamante.

Em nome da boa reputação.

Porém, sem alma, sem espírito, sem respeito.

Nenhum contraste fundamental para existir,

Tom cinza regendo a vida.

Superficialidade, individualidade; tudo sendo posto à prova.

Mulher em busca do equilíbrio

E se equilibrando nos ares da boa reputação até a morte.

Fosse certo ou errado, aos outros não interessava.



Refletindo em pensamentos os acontecimentos.

Respostas sonolentas mantendo a porta fechada.

Afogando boas intenções no nascedouro.

Nada que se pudesse canalizar para transformar

Nem trazê-la para realidade.



Para sair do pântano escuro da indiferença,

Uma mentira diabólica: mantendo a boa reputação.

História surreal: sonho se tornando pesadelo.

Abismo sem fim: sozinha no vazio.

A queda: corpo que nunca chega ao fundo.

Tarde demais para lamentações.

Apenas o vácuo...

Agora a mente se permite entender melhor as coisas.

Torna-se mais pura; quase inocente num vôo assim.

Tudo parecendo muito simples ao olhar,

Mas lá no fundo é complexo.

Não há mais o que defender, nem o que explicar.

Assim para sempre deve ser.

Perturbador, quase repressor.

Uma vida oculta, sem regras, a boa reputação caindo em crise.

Tanta dedicação para acabar assim?

O universo do “tudo é meu” foi exposto.

Enquanto havia uma falsa seriedade no ouvir,

Dava a impressão que já tinha escutado a conversa outras vezes.

E antes do final, caso não gostasse do que ouvia, retirava-se.

Uma farsa, outra mentira num fingimento persistente.

Ofensas: “cale-se idiota! Você não sabe o que diz”

Assim o ego florescia no fundo do poço,

Nas dores de alguém,

Por motivos gratuitos.

O invisível se apoderava quase sem querer;

Acelerava a mente.

E a partir de certo momento nada fazia sentido algum.

Eu me perguntava: “Onde foi parar a boa reputação?”

Quem era aquela pessoa que eu via assim?

Quem era aquela que mesmo quando eu parava de olhar continuava vendo?

Qual dessas imagens seria a mais verdadeira?

Uma perseguição vazia e eterna.

No final o que restava era apenas um ponto de interrogação.



Ela continuava...

O pai dizia:

“Não quero crer que tenho uma filha vadia!”

A mãe aconselhava:

“Filha, você não está brigando muito com o seu novo namorado?”

Logo a resposta vinha:

“Ele é bonzinho, mãe. A ruim sou eu. Não foi sempre assim?”



Novamente algo suspeito no ar.

Coisas que nunca afirmava com exatidão e tampouco desmentia.

Claro que eu deveria ter suspeitado desde o princípio.

Havia outro lado na história.

Um mistério, uma transformação.

Traços mudados.

Pensamentos secretos.

Fuga constante até o desconhecido.

Eu não estava preparado,

Deveras ansioso e surpreso: coisas inusitadas acontecendo.

Eu era apaixonado. Loucamente apaixonado...

Os seus poderes desconhecidos me desnorteavam.

Era sim!



A pior verdade logo veio à tona:

Os meus olhos viram,

Sua personalidade não tinha belos contornos.

Nem boa reputação passando noção de confiabilidade.

Não deu a menor bola aos conselhos, aos sinais.

Pai e mãe sempre são os primeiros a sofrer,

Somente eles reconhecem certos potenciais em seus filhos.



Foco de atenção definida em seu comportamento;

Logo se percebendo que ali havia alguém pouco acessível,

Nada confiável.

Mas por dentro e por fora,

Desejos prevalecendo.

Com ou sem fracassos nos esforços,

No último raio de esperança.



Em cheque a nova imagem da boa reputação,

Pedindo desculpas

Pelo tempo que passou.

Aquilo que nunca existiu poderia sustentar ou destruir

A todos, sem limites.

Fruto da irresponsabilidade, inconseqüência.



Mas agora é diferente,

Finalmente estamos sozinhos outra vez, livres.

Depois que abri os olhos percebi,

O máximo de calor e afeição que se recebe,

De um e de outro,

Num jogo onde não há vencedores,

Reside na lembrança do magnetismo dos olhos.

No esforço em tentar reconstruir a paz de espírito,

Mantendo a cabeça erguida

E a espinha ereta.

E continua assim,

Sem nunca saber ao certo todas as respostas,

Como tudo que se vai ou que permanece oculto.



Quando a busca da boa reputação fracassa,

Como foi com você,

Por ensinamento, pressão ou obsessão,

Fica na mente, na lembrança,

Até o fim dos dias, sem mudar, sem esquecer,

Tanto quanto é impossível

Adivinhar o motivo do brilho do seu olhar.

3 comentários:

  1. O que seria "boa reputação"? Conduta de ser independente se está sozinha ou acompanhada! Ética, caráter, personalidade, sei lá.... Tantas coisas a decifrar do ser humano. Querem sinceridade mas será que se comporta da mesma forma, irônico isso. Exigir de alguém esse tipo de comportamento, deve primeiro ver se vale a pena a começar uma relação. Uma opinião minha, homem gosta desse tipo de mulher, se fosse ao contrário não dão valor, isso já é comprovado na maioria infelizmente, esses tipos marcam a vida de um homem vira de ponta cabeça e se apaixonam rapidamente ficando na neurose.Adriana.

    ResponderExcluir
  2. Boa conduta é dever de todos nós, agora reputação cabe a cada um ver ou melhor, como está agindo sem afetar quem está em volta! Moral é muito importante pra nós, andamos de cabeça erguida e com dignidade. Sem isso fica a mancha pro resto da vida, sem confiança alguma. Recebemos educação dos pais e orientação, mas só cabe a cada um se deve seguir ou não, sofrendo depois suas consequências....

    ResponderExcluir
  3. Patricia Ramos Sodero6 de junho de 2013 22:28

    Acho que o autor expõe bem de como uns agem com os outros.A boa conduta,boa educação,aprendemos com nossos pais,com a nossa família.É certo que,se quisermos desviar todo esse aprendizado,fazemos,sem sequer pedir permissão.Agora,a boa reputação,essa depende de como cada um fala de nós,em meio a sociedade.Podem achar que somos uma coisa,sendo que somos outra.Na verdade,cabe a cada um,ser o que é.Desde que não prejudique o próximo.Acho que podemos melhorar em algo para ver o outro mais feliz,mas,mudar,ninguém muda.E devemos aceitar as pessoas como são.Só lembrando mesmo da conduta,e não se preocupando no que falam a seu respeito.E quando se trata de um relacionamento,acho que fica mais profunda ainda,a maneira de como um deve agir com o outro.Tão bonito quando duas pessoas se entendem só no olhar.Agora,para que isso aconteça,tem que existir a sinceridade,a verdade.A pessoa que aceita um julgamento sem ética nenhuma,perde sua dignidade,a confiança,o caráter.E terá que aceitar as consequências.Adorei,Renato!Vc surpreende mesmo!Espero mais um texto de reflexões,que é o que mais tem feito ultimamente,e que nos enriquece cada vez mais! Bjs...

    ResponderExcluir