quarta-feira, 29 de maio de 2013

Claro E Escuro


Os mais loucos amantes
são eternamente inseguros.
Novas vítimas da tecnologia.
Telefones celulares piscando, vibrando...
Toca a música da moda ou a mais cafona.
Internet wi-fi, 3G, 4G, wireless
Ouvi alguém dizendo:
"O roteador está ligado?
Garçom, nesse barzinho tem wi-fi?
É bom que tenha porque sou bipolar!"

Todo mundo em busca do próximo passo
ou do que faça algum sentido.
Quem é? Alô?
Oiiiiiiiiiiiiii, amore. Finalmente!
Caiu! Que droga!

Em qualquer lugar da cidade grande
Ou da pequena também, sempre há alguém assim, com um brinquedinho.
No cinema, no teatro, na direção do carro ou banco de passageiro.
É ridículo, é chique... It´s dangerous!
Mesmo que isso se pareça com você, mandando ou recebendo,
seja na casa de amigos, ou naquele happy hour sincero no shopping center.
As pessoas ao redor sempre são invisíveis.
São invisíveis aos seus olhos e você aos olhos delas.
Aliás, por que será que todos nessa hora falam e pensam do mesmo jeito?
Silenciosamente...
Homens ou mulheres, jovens ou idosos; idiotizados!
Bêbados, ciumentos, até os cautelosos esperando a próxima mensagem.
Ou a ligação de quem vai chegar.
Cheguei!
Estou on line.

O mundo nunca é o que pensamos.
Um dia nós somos como o tudo para alguém.
Mesmo sem nenhum motivo digno,
por mais que a vida pareça sem lógica.
E noutro dia não somos nada.
Tudo ou nada tanto faz,
Basta uma ligação, uma mensagem.
Aqui ou ali, em qualquer lugar.

Numa tarde de sol tudo pode começar e terminar.
Ainda que ele vá e volte depois.
O sol é o melhor amigo e conselheiro no deserto de cada um de nós.
Ele também pode estar presente via celular, vindo pelas ondas, pelo ar.
Então, olho o sol como olho para você, e vejo o seu retrato ao fundo (papel de parede)
Não existe culpa e nem defeito, apenas o tempo passando.
Estamos ligados meio assim, sem esperança...
Aprendo a aceitar, abaixo a cabeça, danço no frio, no escuro,
São minhas pequenas teclas virtuais.
Comunicação quase telepática que vai chegar.
Onde está você?
Pareço contente com pouco,
ou com o que nunca tenho, ou tive.

Sou de um tempo antigo,
e o que penso parecer sempre vem de outro jeito,
acompanhado de algum tipo de aviso.
Mas o que é?
É justamente porque estou tão distante,
distante e perto de algo novo a cada segundo.
Porque tenho o claro e o escuro no mesmo lugar.

E se por acaso você pensasse um segundo antes?
Antes de me enviar aquelas bobagens.
Talvez a chuva forte passasse e eu lhe teria olhado,
Olhado com outros olhos.
Se fosse assim nenhum de nós estaria agora correndo atrás de abrigo.
Numa hora dessas, num barzinho nos jardins da decadência.
Espero você chegar.
Uma nova palavra escrita aparece pela metade, aviso de mensagem.
Claro e escuro, é a mesma coisa de novo,
dois lados numa única vida.
Tudo é virtual.
O outro lado mostra apenas o que pensei:
Preconceitos, pré-conceitos.
Ideias formadas!
"Não vou mais! Não me espere"!

Mas, de fato, as coisas são assim:
Sempre uma contradição, uma acusação inacreditável:
algo prestes a acontecer, algo que nunca acontece.
Coisas imprevisíveis, imponderáveis, inelutáveis e imprestáveis.
Motivo porque uns se torturam,
e outros pensam que são espertos.
Ninguém reparou que estamos todos enlouquecendo?
Penso assim tão fixamente no viver,
Ou mesmo, como diria o filósofo:
“O que alguns consideram viver na modernidade, é a normalidade da loucura”.
Isso é mais que enlouquecer a todo instante: é como se tudo fosse uma novidade,
um túnel escuro sem luz no final.

Eu digo com todas as letras, digo que estou louco.
Ouvi falar que um meteoro vai cair na terra e toda esperança vai embora...
Misteriosamente vão se desfazendo aos poucos esses motivos.
Era só boato, e a esperança ficou.
Então não me preocuparei com outras guerras lacônicas entre nós,
Essas poucas palavras,
Esquecerei abreviaturas e sofismas no celular.

Qualquer dia vai chegar a minha hora ou a sua,
E a de vocês que leem isso também, podem crer.
O que estão esperando? O que estão olhando?
Ninguém mais acompanhará tantos movimentos,
Nem meias palavras e frases interrompidas.
O meu crédito quase zerou.
Nova recarga com aviso:
"Um cometa pode interferir na transmissão e
o planeta sairá de seu eixo".
Mas antes é preciso baixar o aplicativo.
Tem que atualizar.
Firmware, software, hardware....
Outra mensagem chegando…
Atualizando…
É você.
O meu sol ainda brilha no fundo da tela.

7 comentários:

  1. Vivemos num mundo com informação e tecnologia demais, isso é fato!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Concordo que a tecnologia já virou uma dependência, sem isso ficamos totalmente presos a qualquer tipo de assunto. O homem criou essa forma mais rápida de nos comunicar, mas mesmo assim é bastante vulnerável e frio. Antes, era só cartas, que demorava dias pra chegar, era uma emoção cada chegada! O mundo virtual é um mistério a desvendar, não sabemos quem realmente está do outro lado, nada como conhecer casualmente, numa festa, bar, se esbarrando sem querer e deparando com alguém especial, que vai mudar nossa vida de um jeito incrível e sair da rotina de todo "santo dia".
    Espero um dia ter esse prazer de encontrar essa tal "FELICIDADE" que todos comentam....

    ResponderExcluir
  3. Vai lá vida mostra que não estamos à toa aqui nesse mundo, mesmo com tanto avanços, têm várias pessoas a moda antiga que não se contagiou nisso. Quem tem esse comportamento de se distanciar não é culpa da tecnologia, já nasceram assim. Só não podem misturar os fatos e as pessoas como se fossem objetos. Quando queremos nada e nem ninguém impede de estar juntos, mesmo caindo a ligação ou ficar sem net. Cada qual tem seu destino pronto e vai acontecer no momento certo, quando menos esperar! Adorei essa abordagem Renato parabéns! Adriana.

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante este texto,fala sobre algo muito em alta hoje em dia,o que o autor chama de “Claro e Escuro”,eu me atrevo a chamar de tecnologia X humanidade,onde é fato,a humanidade está em muita desvantagem!Hoje vemos pessoas mais interessadas no que surge nas telas dos celulares,dos laptops,dos micros,dos smartphones,dos tablets e do que sabe-se lá ainda irão inventar,elas não se preocupam mais com os olhos nos olhos,isso não tem mais a mínima importância.Estamos tão ligados no q está rolando nas redes sociais,nos sites de relacionamentos,nos bate papos virtuais,q não nos importamos mais c/o toque,c/o ao vivo,c/o “ser humano”.Não é mais necessário estar ao lado,uma vez q estando do outro lado da tela,ou da linha,podemos ser o q quisermos,podemos nos transformar naquela pessoa q sonhamos ser,mas q está muito distante da nossa realidade.E c/isso td,c/toda essa “modernidade”, essa “globalização”,estamos cd vez mais expostos aos perigos,a sermos enganados,expondo nossa vida pessoal,sem medo de correr os riscos aos quais isso nos levará.Hoje vemos crianças q trocam mensagens,mesmo estando lado a lado,famílias inteiras se comunicando sem se quer trocar uma palavra,amigos q marcam p/tomar aquele cafezinho e colocar as fofocas em dia,mas q acabam tão ocupados atendendo seus celulares e respondendo suas mensagens,q não conseguem dar a atenção a q se propuseram.
    Acabamos escravos de um mundo onde nada é real,ficamos inseguros,incrédulos,expostos aos nossos maiores medos,acabamos sozinhos,esperando q o celular toque,q aquela pessoa especial,entre no bate papo e nos chame p/aquela conversa tão importante e superficial,ou então ficamos viciados naquela rede social e acabamos perdendo muito tempo,não nos importando mais c/o q acontece ao nosso redor.
    Ótimo texto Renato!!! Parabéns mais uma vez.Bju.

    ResponderExcluir
  5. Patricia Ramos Sodero1 de junho de 2013 20:27

    Acho que realmente,não fui preparada para o mundo que vivemos hoje.Mesmo sabendo que tecnologias viriam.Não sou contra inovações...modernismo...o mundo "Claro e Escuro",como diz o próprio autor.Mas,a humanidade está esquecendo das coisas mais simples que tínhamos antes.Estão perdendo o conceito de tudo,com essas tecnologias.Família unida aos finais de semana,para aquele belo almoço,conversas,aconchego...Pra que hoje se pensar nisso,se há uma maneira mais fácil de saber das pessoas?Não se faz mais esforço pra nada...não generalizando...mas,tá difícil mesmo!"Parabéns"..."Como vai".."Vamos conversar"...qualquer coisa que desejamos falar...Nada mais é "olho no olho"...no "sentir" o calor humano...Fazer o quê?Bons àqueles que preservam coisas à moda antiga,sem medo de ser chamado de "careta".Até mesmo nos estudos a tecnologia afeta.Antes,pesquisar era uma arte...procurar em livros..enciclopédias...copiar textos à mão...tinha "sabor"!E aprendíamos de verdade!Hoje em dia,existe um tal de GOOGLE,que já te revela todas as respostas,sem esforço algum.Por isso tudo,estamos nessa decadência!Achei um texto maravilhoso,revelando realmente o que estamos vivendo...Não ficamos sequer,sem olhar uma mensagem na caixa dos emails!Obrigada,Renato,pelo belo texto,mostrando onde estão os valores humanos hoje em dia...Bjs e até o próximo...

    ResponderExcluir
  6. Que mundo atual é esse que vivemos, que no vai e vem nem reparamos o que acontece ao nosso redor! Por isso digo: gente apressada, vida apressada, cidade bem louca. Até que um olha e sorri e o mundo pára por alguns segundos!
    Quando isso acontecer, não perca a oportunidade que possa ser sua felicidade chegando! Ana Paula

    ResponderExcluir
  7. Texto mto pertinente à realidade e às pessoas q fazem da tecnologia seu mundo pessoal e esquecem do q e de quem está ao seu redor. Intitulam-se modernas e antenadas c/ um mundo q nem conhecem. Orgulham-se de estarem em rede virtual mundial c/ pessoas estranhas qdo, na verdade, desligaram-se do seu mundo real, de sua família, de seus amigos, de seus valores!!!
    A modernidade, q deveria facilitar a vida das pessoas e contribuir c/ seu conhecimento e desenvolvimento, está sendo subutilizada, ocasionando um desenvolvimento em sentido contrário ou um retrocesso, onde a proximidade está se distanciando, a amizade está se superficializando e a família está se dissociando, ou melhor dizendo, onde as pessoas estão se idiotizando!... Melhor refletir sobre isto, não é msm Sr. Autor?
    Belíssimo texto, Renato! Parabéns! BJSSS - Edneia

    ResponderExcluir