CENSURADO

   Escreva aqui tudo o que você quiser, com toda a liberdade que algum dia talvez não lhe tenham deixado ter. Escreva sobre o Brasil, o mundo, as pessoas, as coisas, tudo. Não importa se os outros amarão ou odiarão suas palavras, desde que respeitem o seu direito de escrevê-las.
     Essa é  uma história desagradável que aconteceu comigo não faz muito tempo. Faço aqui o relato de abuso, maldade e perseguição, com fatos cometidos a quem emite opinião que não agrada a um determinado tipo de gente.
        
    Durante um tempo fui ferido nos princípios básicos da liberdade de poder publicar neste blog o que penso, ou aquilo que um dia senti na pele como tortura psicológica vinda através de ameaças. Essa censura veio acontecendo desde que citei em alguns textos publicados aqui, coisas semelhantes aos ideais deturpados de covardes que, por acaso, não gostam de ter revelado ao mundo os absurdos que cometem contra os outros. Quando essas pessoas quiseram me calar cometeram um erro crasso, justamente porque nunca desisto de algo que julgo direito meu. E já que elas têm como único e principal intuito, calar aqueles que relatam coisas parecidas com as barbáries que praticam, revelo aqui o meu repúdio a essa gente de atitudes baixas. Afirmo que essas pessoas não respeitam limites que o ser humano precisa ter diante dos que pensam contra a sua orientação, por isso ameaçam. Isso é vergonhoso!  Depois dessa prática abusiva se dizem perseguidos quando a verdade vem à tona, sempre induzindo ao erro aqueles que não sabem da realidade dos fatos. Eu gostaria que um dia esses intolerantes estivessem diante de mim - só para que eu pudesse falar na cara de cada um o que penso deles. 
     Certas coisas devem ser ditas na cara. Não gosto de mandar recados e muito menos de ser perseguido nos meus ideais. Entretanto, diante dos covardes que maltratam e depois se escondem, não há outra coisa a fazer a não ser me manifestar por uma via que é exclusivamente minha. Eles são muito hábeis em seus disfarces, e não tem como alcançar essa gente por outro meio, já que o negócio deles é feito à miúda. Eles ficam bem escondidinhos enquanto buscam oportunidades para ferrar os outros e depois, quando a reclamação vem, simplesmente ignoram o reclamante ou usam a reclamação para achincalhar o mesmo. Dominam bem a arte de ignorar pessoas e fazem com precisão, - isso enquanto tentam impedir o direito de livre expressão ou até revelação de opinião que seja contrária a deles - vão sempre subvertendo a razão, a ordem e o direito do outro. Essa é atitude bem comum de intransigentes natos e de gente que não percebe que tem hora que não dá para recuar, não dá para fugir, mudar ou se esconder. Mais dia ou menos dia a adversidade os alcança pegando-os em cheio, tudo porque abusaram da boa vontade de quem dedicou uma enorme paciência em tentar entendê-los. Essa gente acha que usando a inteligência a mando do mal, ou da sabedoria distorcida da realidade em que vivemos, podem atingir todos objetivos inescrupulosamente. Porém, quando descobertos, não tem coragem de romper com coisas ruins do passado firmadas por superstições ou ensinamentos contraditórios. Assim vão insistentemente passando suas regras adiante enquanto pisam nas pessoas. Fazem isso como se ainda vivêssemos num regime autoritário, tipo nazismo ou comunismo, onde as pessoas não tinham o livre direito de expressão, onde livros eram queimados em praça pública e pessoas com pensamentos contrários eram  jogadas diretamente ao fundo do cárcere. O tempo de caça às bruxas acabou. Hoje é tempo de igualdade e de respeito ao próximo e seus anseios. Do mesmo jeito que aconteceu e acontece comigo, qualquer pessoa que se comunique com essa gente, pode ser perseguida quando demonstrar desagrado por atitudes autoritárias e injustas, digo com conhecimento de causa, porque sofri isso por algum tempo. Quero dizer a todos que acompanham as publicações desse blog, que alguns dos meus textos publicados no ano de 2011 foram censurados, não pela censura formal, mas sim por pessoas que me ameaçaram por escrito, exigindo que eu os retirasse do blog, dizendo-se ofendidas com os meus temas. Tudo veio disfarçado como se fosse um aviso cívico, o que me deixou muito indignado com o tom da afronta, já que, além dos detalhes citados, também estava implícito o poder econômico privilegiado dessas pessoas que diziam ter uma cúpula de advogados estudando meus textos. Achei melhor - por estar sendo ameaçado, coagido e intimidado por eles, - como já ressaltei - gente poderosa do ponto de vista financeiro e pertencente a um grupo oculto de pessoas com ramificações em altos escalões públicos e privados da sociedade em que vivemos - retirar grande parte do conteúdo do blog e guardar as ameaças, já que, desse tipo de gente, podia esperar muito mais que mera perseguição intelectual. 
Para finalizar a conversa, revelo que depois que fui "censurado" e ameaçado, acabei atendendo o ultimato dos intransigentes e não fui mais importunado. Mas, ainda espero a qualquer hora coisa ruim chegando. Essa gente de atitudes perversas demonstrou por A + B, que é tão dissimulada quanto a serpente na hora do bote.
      A lição que fica é a seguinte: mesmo vivendo numa sociedade livre e regida por uma democracia de um país onde o ensinamento cristão predomina, não estamos livres para expressar o que pensamos ou, muito menos, com a segurança de nunca receber perseguições, ameaças e ultimatos, quando a opinião expressada tomam dimensões que esclarecem a verdade e exigem respeito.

Que existe mais, senão afirmar a multiplicidade do real?
A igual probabilidade dos eventos impossíveis?
A eterna troca de tudo em tudo?
A única realidade absoluta?
Seres se traduzem.
Tudo pode ser metáfora de alguma outra coisa ou de coisa alguma.
Tudo irremediavelmente metamorfose!
(Paulo Leminski)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Luz Fraca Do Abajur

Decisão

O E-Mail-Carta Parte 8