segunda-feira, 14 de maio de 2012

Enganos

   Eis aqui fatos baseados nos enganos que cometemos quando acreditamos demais... Amamos demais... Sonhamos demais...
     É uma história que poderia começar como qualquer outra história de amor, mas não aqui... Não assim...
    Na verdade essa história começa com olhar de uma jovem desiludida.
    Mas... Sempre existe um “mas” na história, não é mesmo? 
   A vida mostraria um lado cruel dessa jovem.
   Começou quando o relacionamento com alguém que a entendia começou desandar, desandar, desandar...  
      Surgiu depois um homem; um homem se violentando naquilo que achava certo diante da vida - nos bons modos que havia aprendido.  
     Esse homem otimista com a moça achou que o tempo a faria mudar.
    E ela aprenderia boas atitudes diante da nova realidade, com exemplos diante dos seus olhos...
Ele a levou para conviver num ambiente cheio de solidariedade e valorização do ser humano.
Desse momento em diante algo pareceu mudar dentro dela...
Experimentou a socialização, participação por um tempo.
Mas não se adequava ao ritmo natural das coisas.
Usava como desculpa a timidez para a fuga.
Porém, ele, ao vê-la agir assim, começou a pensar no plural, imaginando o exemplo de outras pessoas que passaram pelo mesmo problema.
Ele começou a sentir algo castrador e violento em seu olhar.
No entanto, existia dentro dele uma força interior que causava algo bom.
Algo que o fazia carregar a certeza que de alguma forma iria conseguir regenerar aquela pessoa de comportamento retraído.
Ele lutava com a esperança que possuía.
A ideia da solidão não lhe caía bem - mesmo que o tempo todo se sentisse abandonado pela falta de cuidados dela. 
Toda sua determinação não funcionou e ele falhou em todas tentativas.
Por ter falhado foi esticando o relacionamento... Mas a pessoa só lhe causava frustração...
Notando essa fraqueza que não dava para esconder, ela perdeu a noção de boa educação, gentileza e acima de tudo consideração.
    Por mais incrível que pareça, ele acabou notando que surgiu outro tipo de personalidade na moça, quase uma aberração da natureza. Talvez hipocrisia recheada com arrogância.
   Com o tempo foi ficando cada vez mais forte a convicção que a jovem fingia ser o que não era.
 Vendia uma imagem que não tinha.
  Mantinha-se intocável com comportamentos misteriosos e que dizia não tinha a obrigação de explicar. Exigia a conduta inversa - que ele sim fosse transparente e lúcido.
Existia uma distância enorme entre o discurso que ela pregava e aquilo que praticava. Geralmente não assumia adiante compromissos que considerara válidos. E o relacionamento ia de mal a pior, já que para ele era complicado decodificar onde começava a má índole e terminava a coisa normal.
    Então, como fazem os amantes mais crédulos, ele preferiu ir dando chance e mais chance. Acreditou novamente que haveria mudança. Que um dia ela se colocaria adequada e respeitosamente diante dele.
O mais triste é que a forma da moça agir não mudou.
 Para piorar, o seu jeito era considerado normal na opinião dos que a cercavam.
  Ele abriu os olhos ao perceber que esse tipo de pessoa - que não tinha lá um caráter elogiável - não alimentava nenhum tipo de preocupação com a tristeza de qualquer outro igual.
E bem menos com olhar aparentemente triste dele diante da situação.
É natural que uma história assim não poderia mesmo acabar bem.
Foi quando ele seguiu adiante.
Mas... Sempre existe um “mas”, acho que já falei isso aqui.
A verdade é que ele acabou se sentindo frio e duro por dentro.
Ficou com medo de viver um novo amor como o amor deve ser vivido.
A cautela virou excesso de exigências...
Ninguém jamais conseguiria cumprir tudo aquilo.
No final descontou em quem não tinha nada a ver com o pato...
Alguém que acreditou que ele estava com o coração “limpo”.
Ninguém imagina o quanto doeu ter agido assim...
 Mas ele não conseguia esquecer.
Diziam que isso passaria... O tempo curaria.
Acontece que não conseguia perdoar a dor que sentiu.
Ele se lembrou do que passou e culpou a moça por seus desajustes.
Repetiu insultos e humilhações.
Elaborou algum meio que fizesse devolver com juros e correção.
Buscou um jeito de aliviar suas dores... Deu opiniões públicas.
Mas ele precisa mais, muito mais...
 As farpas voaram praticamente às cegas...
Um grande escândalo tomou contornos inesperados... As tramas foram desvendadas...
Pessoas indignadas diziam: “Como assim? Que absurdo!”
Elas se apiedaram... Solidarizaram-se ao sofrimento fingido da moça.
Acompanharam os protestos...
 Novas informações com o desenrolar dos fatos.
Tudo parecia uma perseguição do homem clamando vingança.
Não foi bem assim e nem só isso.
A vida daquela moça se tornou pública.
Sentiu como uma dura lição para uma nova visão do futuro.
Eram fatos baseados nas verdades aprendidas com o “comer o sal” junto.
Cada um sabia o que viveu, cada um sabia o tamanho da dor... 
  Quando ele provou o que dizia com os meios que possuía, nada mais foi questionado...
 Diante daquilo veio o ensinamento básico da vida: respeite para ser respeitado.
Coube a quem tenha lido tais relatos comparar e tirar às próprias conclusões.
Em algum momento da caminhada todos foram vítimas ou algozes, cúmplices ou desafetos.
Agindo por um instinto básico se defenderam, mas, essa constatação de forma alguma eximiu cada um de culpa.
Ninguém é capaz de imaginar a força interior cheia de maldade que um indivíduo carrega.
 E muito menos, a força de vontade que tem em atacar por injustiças sofridas.
Os pensamentos se libertam com grande revolta, geram comportamentos piores...
Fica o ensinamento que é sempre bom ter cuidado com aquilo que fazemos aos outros...
Um dia nunca será igual ao que passou.
E as pedras sempre rolam...

10 comentários:

  1. Muito bom o texto....é muito difícil conhecermos alguém de verdade,como diz meu (pai)você convive 10 anos com uma pessoa ou 100 e você nunca vai conhece-la de verdade.E com o nosso amigo,parece que foi o mesmo.
    Quando conhecemos alguém e nos apaixonamos os primeiros dias,meses,tudo é flores,tudo é perfeito e a gente geralmente consegue enxergar ,que por trás daquele rostinho bonito ,daquele jeito doce e meigo,existe uma pessoa completamente diferente,é quando o tempo passa e a pessoa começa realmente se mostrar ,a gente começa a ver coisas que no começo não víamos.
    Mas como a maioria do ser humano parece que gosta de sofrer rsrsr....acabamos por insistir mesmo sabendo que a pessoa não é como imaginávamos,mesmo vendo que corremos o risco de sofrer mais e mais.E fazemos tudo isso porque estamos apaixonados e temos o medo da perda e da solidão, e por esses motivos que acabamos se envolvendo demais e acabamos querendo tentar mudar a pessoa para não perdermos.Por isso deixo aqui um comentário,jamais se entregue demais ,e quando percebemos que aquela pessoa não é mais a mesma do dia em que a conhecemos ,mesmo com o medo da perda,ou por medo da solidão,não deixe que passe por cima de você,ou que te faça de um pano de chão ,que limpa quando quer,porque o que fazem com a gente hoje,com toda certeza irão receber amanhã, e o dia seguinte nunca será igual o dia que passou rsrsr....Parabéns, bjks....

    ResponderExcluir
  2. Muitas pessoas se permitem viver das migalhas do sentimento dos outros, porque não nos damos o valor suficiente para estarmos e ficarmos com quem realmente nos dá valor, com quem realmente é recíproco e digno de receber os nossos mais verdadeiros sentimentos. Na verdade nós mesmos é que temos que nos amar o suficiente para não nos deixar iludir por um pouquinho do afeto alheio.
    Acredito que o excesso de frustração e falta de amor próprio é que faz as pessoas terem os mais variadas e inesperadas reações que nem mesmo nós conhecemos de fato, simplesmente explodem dentro de nós de forma avassaladora e com proporções desconhecidas. Atitudes estas que estão fazendo parte do nosso dia a dia, quando um relacionamento de acaba e que um simplesmente se acha no direito de matar, sequestrar ou até mutilar o parceiro, na tentativa de inviabilizar novos relacionamento e um novo recomeço.
    Amor próprio, dignidade e esperança para cada um saber viver a sua vida, tomar um novo rumo e se não deu certo hoje, poderá dar amanhã com uma nova história e um novo recomeço.
    Parabén Beijos

    ResponderExcluir
  3. Bom pra começo de conversar,nunca vamos conhecer de fato a pessoa que amamos,sempre esconde algo de pior pois no começo de uma realação é maravilhoso não vê defeitos é com o passar do tempo que começamos a notar e mesmo assim colocamos desculpas para a falta de caráter da pessoa.Tentando perdoar seus erros cometidos,mas isso lá na frente vai só piorando acabando o amor para virar em tristeza,dor e sofrimento,faço uma pergunta será que amar deixa agente tão cego assim que não notamos a falta de caráter da pessoa que só usa para seu próprio benefício.

    ResponderExcluir
  4. Patricia Ramos Sodero15 de maio de 2012 17:53

    Bem, esse texto relata como as pessoas não se conhecem....e não se trata somente de relacionamentos...isso acontece até mesmo em família!!!O ser humano é muito difícil de se compreender....nunca estamos satisfeitos por completo!!!
    Quando falamos de relacionamento,onde fazemos planos e idealizamos a pessoa de nossos sonhos,a princípio, tudo é lindo e exatamente como queríamos.Quando o tempo vai passando, vamos observando que, ambos já não estão mais em sintonia...sempre um tem mais defeitos que o outro,faz mais que o outro,cobra mais que o outro...e assim vai. São nesses acontecimentos que enxergamos o quanto existe o desgaste,o quanto a pessoa se mascarou,até onde vai o amor declarado no começo....Na minha opinião, o amor verdadeiro é aquele que se aceita do jeito que o outro é,e vice-versa.Podemos tentar mudar coisas pequenas em um relacionamento,para que se tenha bons frutos.Agora, mudar a pessoa em si,seu caráter....isso é meio difícil!!!Mesmo que nossos pais tenham nos ensinado todos os mandamentos da vida,vai de cada um de nós,colocar em prática o que foi ensinado.
    Agora, o recomeço, sem sombra de dúvidas,em qualquer situação, nos faz conhecer novos rumos e analisar cada passo que devemos dar.
    Sem dúvida,Renato, um lindo texto para reflexão do que é relacionar-se com pessoas.Nem sempre podemos confiar.
    Adorei e aguardo o próximo,nos pegando de surpresa!!!
    Bjos,bjos,bjos....

    ResponderExcluir
  5. A difícil “arte do relacionamento”, onde um se entrega demais e o outro por medo, ou qualquer outro motivo, deixa de viver o que poderia ser uma grande surpresa.
    As dores e sofrimentos vividas em outras relações, podem transformar as pessoas em pedras de gelo e ai daqueles que atravessarem o seu caminho, tentando salvar aquele coração gelado e vazio. Ao invés de se entregarem a salvação, acabam tratando o outro como inimigo e acabam perdendo a chance de encontrar a felicidade.
    Isso tudo na minha humilde opinião, não justifica a falta de caráter, o mau trato com o próximo, o descaso e a ausência de valores, não é porque alguém te fez sofrer que você necessariamente deva fazer o mesmo com outra pessoa, concordo que seja preciso cautela em um novo relacionamento, que comece aos poucos, que não se entregue totalmente logo de início, mas que vá desvendando as intenções daquela pessoa, até ter certeza de que valerá a pena investir e se entregar totalmente a uma nova chance de ser feliz.
    Como também não concordo que uma pessoa prolongue o seu sofrimento em uma relação na qual se sinta maltratada e desvalorizada, tem que haver o amor próprio, o respeito a si mesmo, nunca valerá a pena estar com alguém apenas por medo da solidão. Viva aquele velho ditado: “antes só do que mal acompanhado”.
    E como o autor diz no final do texto, sito aqui outro velho ditado: “não faça aos outros o que não gostaria que fizessem a você”.
    Mais um texto para reflexão, parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  6. Coisa séria isso heim? Quem não passou por situação semelhante? Digo que alguns já passaram até igual. O ser humano complica algo que é simples. Amar alguém é simples, complicado mesmo é conviver com o obscuro. Pessoas escondem sentimentos, frustrações, mágoas e desafetos. Ninguém consegue camuflar nada por muito tempo, ai vem o lado mutante...cada dia um personagem. Pensava eu, que meu ex mudava o comportamento pelo desgaste dos quase 25 anos juntos, então eu tentava fazer o dia não ser rotina...tinha paciência...engano meu. Depois de anos percebi que pessoas que passaram em meu caminho em poucas semanas se tornaram mutantes. Cheguei a conclusão que cometi vários enganos. O amor é tolerante, as pessoas não são mais. A cada nova ferida aberta, elas se tornam piores. Hoje reflito mais e piso com cuidado para me enganar menos, "mas" como vc disse, tudo tem um "mas", a vida esta ai e ainda posso me enganar muito. A única coisa disso tudo que não é um engano: "Não faça aos outros, aquilo de ruim que não quer para vc". Muito bom texto mocinho, ficariamos aqui dias e dias citando exemplos e justificativas dos "enganos". Bjs no coração.

    ResponderExcluir
  7. Porque será que quando estamos apaixonados não enxergamos a pessoa com quem estamos convivendo complicado isso.Sempre é os de fora que fica alarmados com a situação e por mais queira avisar nós nunca damos ouvidos dizendo que a amado(a)não está acostumada com o carinho e afeto que está recebendo,infelizmente nós mesmos nos enganamos dando essa desculpa idiota achando que aquela atitude grotesca da pessoa mude.Pôxa vida,que lamentável conhecer pessoas desse nível assim posso dizer que adrenta na nossa vida,família só pra tirar proveito e saem como se nada tivesse acontecido,e por mais que tenhamos cuidado em se relacionar de novo nunca será o mesmo porque deixam marcas profundas.Parabéns!!!Bjs!

    ResponderExcluir
  8. ENGANOS É JÁ DIZ TUDO UMA PROFUNDA E DEMASIADAMENTE MENTIRA,PENSO COMIGO COMO EXISTEM PESSOAS NESSE MUNDO QUE ENGANA TÃO BEM,CONCORDA!!!PRA MIM PESSOAS DESSE TIPO JÁ TEM UMA MENTE DOENTIA E FAZ ISSO PRA SOBREVIVER EM TODOS OS ASPECTOS.COITADO OU NÃO QUEM CAÍ NESSA ARMADILHA SE ENVOLVE DE UMA TAL MANEIRA QUE FICA PRESO IGUAL A UMA TEIA DE ARANHA.E QUANDO É DESCOBERTO AÍ SIM VIRA UM TURBILHÃO DE PROBLEMAS OCASIONADO PELO INTRUSO POSSO CHAMAR ASSIM POIS NÃO CONHECEMOS DE FATO COM QUEM ESTAMOS LIDANDO.SÓ QUE ESSES INDIVÍDUOS ESQUECEM QUE A MENTIRA NUNCA DURA PARA SEMPRE UMA HORA CAÍ EM CONTRADIÇÃO.A LEI É ESSA "AQUI SE FAZ AQUI SE PAGA".PODE DEMORAR MAS O TEMPO MOSTRA DE FATO QUEM É QUEM,CABE A NÓS SE DEVEMOS CONTINUAR OU NÃO COM A FARSA.ATÉ.

    ResponderExcluir
  9. Enganos o que dizer sobre isso,bom na minha opinião se resume uma palavra dupla personalidade,um lobo em pele de cordeiro posso dizer assim.Esses tipos vem manso no começo comendo pelas bordas até pegar toda confiança que o amado(a) deposita aí já viu né.Tudo começa a pôr em prática seus objetivos mais cruéis e menos presando o amor e afeto que o companheiro nutre por ela.E tem muitos assim,nesse mundo de meu Deus.Bjs!!

    ResponderExcluir
  10. "Enganos" todos nós somos talvez não percebamos isso pelo intuito de vigiar o semelhante. Se por infelicidade conhecemos esses tipos é porque não estamos nos policiando e deixando acontecer coisas desse tipo. E derruba, dói e fere de um jeito que não tem mais volta, ficando na mais absoluta tristeza e solidão. Sempre gostamos dos opostos porque se forem dos mesmos gostos se tornam amigos. Parece sádico isso se for analisar mas é bem por aí que ocorre. O vida cruel essa, mandar no sentimento é impossível. Até.

    ResponderExcluir