sábado, 4 de fevereiro de 2012

Uma Breve Vida Parte 6 E Algumas Palavrinhas Do Autor

    Diante de questionamentos de leitores do conto “Uma Breve Vida”, resolvi dar algumas pequenas explicações do que se passa na mente desse autor meio amalucado. Notei que existe uma certa dúvida a respeito do tema usado nessa história, algumas pessoas acham que é o conflito eterno entre o bem e o mal, (o termo fada monstro dá essa noção), outras dizem se tratar de experiências pessoais desse que aqui escreve, e algumas até afirmam que existe um Q de mediunidade nas narrativas. Como já é de hábito em todos os meus contos, sempre dedico um post dirigido aos leitores, isso para tentar transmitir a minha sensação no momento da escrita e qual a motivação por ter escolhido o tipo de enredo. Posso garantir uma coisa: a intenção é sempre de transmitir boas mensagens às pessoas, fazendo com que exercitem a mente, ou pensando até que ponto as atinge aquilo que é explicado aqui, ou por outra via, em que parte as faz imaginar que precisam melhorar no trato com o semelhante. Por isso busquei a abordagem essencialmente espiritual, ela é um foco de curiosidade e de elevação intelectual da vivência de muitos, que através dessa crença moldam um estilo de vida próprio. O ramo espiritual falado nesse conto nada mais representa do que a energia cármica que carregamos por uma ou mais vidas, isso num ciclo de existência e aprendizado. A abordagem sobre vidas passadas e situações presentes no cenário simbólico das energias celestes, ou espectrais que nos rodeiam, nada mais é do que um segredo para ser desvendado a respeito do nosso passado, presente e futuro. Algumas pessoas que possuem o conhecimento desse simbolismo sabem bem do que estou falando, e para aquelas que não possuem esse tipo de dinamismo ou são céticos, entendo com naturalidade que esse meu conto torna-se um enigma ou até mesmo algo incompreensível do ponto de vista racional. No entanto, eu sei, que novas descobertas, ou inclusive propostas de vida, podem ser vistas claramente aqui. Os conhecimentos e sensações que procuro passar são ensinamentos que percorrem séculos de um estudo complexo sobre a ligação das pessoas e das almas em transito, isso em seus encontros nas vidas carnais ou situações de resgate emocional; pois nada acontece por acaso nesse universo em que vivemos. É claro que compreendo muito bem que para muitas pessoas tudo o que descrevo aqui pode até parecer ofensivo, ou quando visto por um lado ideológico pessoal e não por uma veia filosófica universal. No entanto, gostaria de deixar bem claro que eu, particularmente, acredito nas energias do universo e na evolução espiritual através de toda manifestação cósmica, seja daqueles que consideramos seres viventes nesse mundo que conhecemos ou não. Bem... Imagino que como os seres humanos são extremamente complexos em cada existência que percorrem, talvez eu esteja tirando um tipo de fotografia da alma que caberia na vivência de muitos que ainda estão por aqui. Não preciso dizer que tudo não passa de uma representação simbólica da evolução espiritual repleta de todos os carmas que carregamos por um longo tempo. O meu grande dilema, como já citei em outros textos, é que as pessoas interpretem tudo de uma forma que não acarrete um erro que leve a excessos desnecessários de mensagens dirigidas. Entendo muito bem que diante de uma narrativa que pode ser tão explicitamente clara para alguns, a noção de verdade é aparente. Exatamente por essa razão encaro como normal trazer a tona à mente das pessoas, as imagens que, de uma forma ou outra, lhes trazem lembranças do passado e das experiências particulares de cada um. Isso pode ser uma forma muito forte e agressiva de balançar o equilíbrio emocional e confundir tão intimamente cada um, a ponto da missão de vida desses seres ficarem comprometidas. Mas posso garantir que aquele que possui um mínimo de conhecimento espiritual; seja essa pessoa de que religião for, não sentirá qualquer dificuldade em entender que isso nada mais é do que uma experiência coletiva de noção universal do bem e do mal andando juntos, a qual todos nós somos influenciados. E está baseada naquilo que chamamos da lei da ação e reação. É interessante notar o tipo de pensamento do personagem principal desse conto, ele tem uma memória atemporal e estranha. Ele não sabe ao certo de que vida passada é a sua memória e qual o propósito exato da sua missão. O mais interessante a se saber sobre tudo isso é que ele é avisado que existe uma programação, algo cármico que determina o movimento que vai girar a roda do destino para o qual foi impelido. Ele pensa incessantemente num tipo de ajustes  de contas com alguém que o defraudou emocionalmente, só isso fará com que o mundo volte a ter equilíbrio, o seu mundo. Mas ao mesmo tempo entende como sendo um castigo divino lembrar de todas as mazelas impostas pela fada monstro em alguma vida terrestre, são essas as imagens que ele recebe em flashes. Ele só não sabe que tais mazelas, nada mais foram do que o efeito de coisas criadas para levarem a esse carma; um encontro inevitável nesse ciclo da existência de ambos. Porém, esse tipo de ciclo é como se fosse uma espiral que traz uma carga de tudo o que se acumulou no passado desses seres e que precisa ser resolvido, mesmo que essa solução dure muitas gerações. Como disse antes, estamos vendo aqui uma fotografia da alma que vai mudando, talvez uma fotografia feia e repugnante, porém realista. Acho muito interessante quando assuntos assim são abordados, coisas que levam a pensar nas dívidas que acumulamos com os outros e os outros com a gente, e os laços de amizades ou amores de outra vida que não temos consciência que trazemos para o presente e nos fazem entrar em conflito permanente com a realidade. E com isso não percebemos que essa relação precisa ser melhorada com a ajuda da complacência e da generosidade acima de tudo, só assim teremos a certeza que da próxima vez isso gerará uma mudança de atitude positiva. Mesmo que essa nova etapa seja feita de abnegação, dedicação e sofrimento. Isso também pode ser visto como o lado positivo, como o amadurecimento da alma num patamar mais elevado. Esse seria o maior exemplo de coragem e determinação a ser seguido e respeitado. Só que como em tudo na vida; é necessário dar o primeiro passo para a purificação dos sentimentos ruins. Livrando-se das atitudes egoístas, omissas e desrespeitosas ao próximo, assumindo com isso as responsabilidades do destino de forma serena. Isso porque a vida está aí para ensinar todas as lições através das tribulações que nos colocam em cheque e mostram o caminho que vai muito além daquilo que imaginamos como certo. O maior objetivo de todos é continuar o trabalho bom iniciado e tirar dele o maior proveito possível, porque toda semente que um dia foi jogada tende a florescer, seja ela boa ou ruim. Com isso há de se arcar com as conseqüências daquilo que plantamos pelo sorriso ou pela dor, sabendo que toda semente que tenha sido atirada, mesmo que numa terra árida, com o amor florescerá sem espinhos, dita a natureza. Pois tudo nessa vida pode ter beleza e pureza, quando temos um espírito transcendental no qual reconhecemos a alma como templo, e é com esse pensamento que devemos aprender a perdoar a tudo e a todos, só assim atingindo uma única solução que faz com que não carreguemos nenhum fardo adiante. E com essa ação impere o amor universal e incondicional acima de qualquer outra coisa.

8 comentários:

  1. "Com isso há de se arcar com as conseqüências daquilo que plantamos pelo sorriso ou pela dor..." Que lindas suas palavras!!! Que texto "explicativo" brilhante!! Seria realmente maravilhoso se cada ser vivo, entendesse que não adianta continuarmos cometendo os mesmos erros do passado, pois teremos que voltar 1 milhão de vezes, se preciso for, para podermos evoluir e seguir adiante. Se cada um de nós fosse capaz de ter humildade, amor e respeito ao próximo, com certeza esse mundo seria um lugar muito bom para se viver, e não haveriam mais "fadas monstros" tentando destruir cada sentimento bom existente na face da terra. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Primeiro queria te dar os Parabéns por esse texto tão bem escrito e tão bem explicativo.Gostei mto como o nosso autor mesmo disse coisas do espiritismo ou espiritualismo é um assunto mto pouco abordado,e quando abordado mto pólemico ,por mtos ainda desconhecerem e por que ainda existe mto preconceito em relação a isso..
    Viémos a vida para uma missão ,sempre com intuito de a cada dia superarmos o que nós é feito ,e sempre perdoarmos o próximo seja o que tenha feito ,para que em vidas futuras não ter que continuar a missão que deixamos de cumprir nessa vida.Nosso amigo como o autor mesmo explica ,não sabe ao certo em qual de suas vidas carnal ele conheceu a fada monstro e tão pouco sabe ao certo que tipo de homem ele foi.Mas com certeza aonde ele se encontra agora ,ele certamente semeou mta coisa ruim e agora tem que terminar a sua missão para finalmente ter a luz de que precisa e assim ter a chance de seguir em frente e esquecer.. perdoar tudo o que lhe foi feito¨"Porque tudo nessa vida pode ter beleza e pureza, pois temos um espírito transcendental no qual reconhecemos a alma como templo, e é com esse pensamento que devemos aprender a perdoar a tudo e a todos, só assim atingindo uma única coisa que faz com que não carreguemos nenhum fardo adiante: o amor universal e incondicional".....mais uma vez Parabéns adorei cada palavra e cada detalhe expicado,até o próximo bjksssss

    ResponderExcluir
  3. Patricia Ramos Sodero4 de fevereiro de 2012 20:23

    Renato....por mais uma vez, me surpreendeu com suas palavras...uma explicação notável!!! Sim, para nós, que vivemos e conhecemos de alguma forma,o lado espiritual,sabemos que todos nós temos uma missão e um karma a ser cumprido em terra.Como disse,são ações e reações do passado,às vezes de um passado bem distante,que vamos resgatando a cada reencarnação.Reencarnação essa que, enquanto não é cumprida ou aceitada na vida terrestre,não termina.E pq não termina??? Simplesmente porque precisamos aceitar as situações impostas,com simplicidade,humildade,carater,respeito...se assim não é feito....continuamos a colher o que plantamos!!! Até aprendermos a respeitarmo-nos uns aos outros,com mais amor e menos ódio.
    Parabéns!!! Adoro seus textos!!! Estou louca para ler os próximos capítulos....Grande bjo...

    ResponderExcluir
  4. Patricia Ramos Sodero4 de fevereiro de 2012 20:34

    Só para completar meu comentário.....

    Nunca esqueça: Você é um talento único.... com toda certeza ninguém te substituirá!

    " Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso.
    O que eu faço é uma gota no meio de um oceano, mas sem ela o oceano será menor. "

    ResponderExcluir
  5. Lindas palavras Renato, acredito muito em colher o que plantamos, em crescimento pessoal a cada dia, a cada minuto. A terra é movimento e como ela também nós estamos em constante movimento. Concordo totalmente quando você diz que a vida ensina todas as lições, ela se impõe à nossa vontade, nos apresenta todos os dias pessoas, situações, que nos obrigam a fazer escolhas, nos posicionar e escolher caminhos. Também acredito que todas as sementes , mesmo as ruins, podem florescer, e que toda dor sempre traz aprendizagem, mas acima de tudo acredito que podemos, até certo ponto, escolher o quanto deixaremos as tristezas dominarem nossos corpos e mentes, até mesmo isso é uma escolha pessoal.
    Parabéns, muito bom conhecer a opinião e linha de pensamento do autor!!!!

    ResponderExcluir
  6. Li todas as partes do conto de uma só vez. A minha interpretação foi, basicamente, de uma estória de pura ficção entre dois seres que tiveram uma relação e que o seu final, talvez mal resolvido, gerou todos os sentimentos negativos que isto acarreta, inclusive de vingança, por toda existência. Adicionando-se a isto todos os outros ingredientes. Confesso que os personagens e cenários do conto me causaram arrepios, mas reconheço que o autor é muito, muito criativo, sempre se superando e nos surpreendendo.
    Sempre muito oportuno lembrar a importância do amor ao próximo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Acredito que cada um de nós temos algo a resgatar ou ajustar. Não sabemos o tempo exato de que ocorreu algo, mas sabemos que ocorreu. Também não acredito no "por acaso". Se vivemos hoje momentos difíceis ou fáceis, estamos colhendo a plantação e não importa o tempo que foi plantada. Cada passagem que nos acontece no dia ou na noite é para ser refletida. Dai tiramos o parndizado, a evolução e o crescimento espiritual. Acho isso magnífico. Maravihosas suas palavras....parabéns mocinho!

    ResponderExcluir
  8. Lindo texto nos faz refletir muitas coisas que passamos aqui na terra e que talvez não entendemos,parece que temos que cumprir,o que foi deixado lá pra trás e passando por isso evoluir em todos os sentidos,tendo principalmente a paz e felicidade interior porque sem isso,não somos nada.Nem todo dinheiro nesse mundo paga a nossa paz espiritual.Como diz sem Deus não somos nada.Está de parabéns Renato pela sua explicação,só uma sensível poderia ter essa percepção!!bjsAndréa.

    ResponderExcluir